PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

61% das pessoas querem flertar online com gringos. Veja depoimentos

Segundo pesquisa do site Ysos paquerar em outra língua é uma aventura para 68% dos entrevistados  - Getty Images
Segundo pesquisa do site Ysos paquerar em outra língua é uma aventura para 68% dos entrevistados Imagem: Getty Images
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

02/05/2021 04h00

Lá pelo início da pandemia pipocaram previsões sobre novos tipos de relacionamentos e adoção de novas tecnologias para intermediá-los. E muitas se confirmaram:

No Sexlog, por exemplo, temos visto a adoção cada vez maior à livecam para conhecer novas pessoas. O que antes era uma ferramenta de puro exibicionismo, hoje é um jeito de interagir, ao vivo e a cores, com novos(as) pretendentes.

O Tinder também registrou um aumento considerável no uso de uma ferramenta chamada Passport, que permite aos clientes Premium procurar por matches em diferentes cidades ao redor do globo.

Agora, o mesmo Tinder, quer facilitar ainda mais as conexões e iniciou uma parceria com o Duolingo, uma plataforma para aprender novas línguas online. Útil, não? Cerca de 100 mil membros foram contemplados com um período de graça para começar as suas aulas.

Por aqui, o app de encontros Ysos fez uma pesquisa recente, com cerca de 500 pessoas, para entender o interesse em experimentar (se é que você me entende) novas línguas:

61% respondeu que tem interesse sim em flertar online com pessoas de outras nacionalidades, especialmente durante esse período em que viajar está mais complicado.

A maioria também disse que paquerar em outra língua é uma aventura (68%) enquanto apenas 32% considera uma barreira. Além disso, 70% conta que já viveu essa experiência! Que pessoal agilizado, não?

Alguns contaram um pouco mais sobre a sua vivência:

FL. "A experiência que tive foi muito boa. Ambos nos demos bem e nos divertimos com essa iniciativa."

HS. (casal) "Já rolou sim e do online foi para o real. Com uma pessoa que saímos no Canadá, assim que acabou a transa ela levantou, agradeceu, se vestiu e foi embora. Ficamos pensando que ela não tinha gostado e que nem fosse mais falar conosco. Dois dias depois, ela marcou conosco de novo. Descobrimos que os canadenses não ficam curtindo muito junto. Depois que transa é cada um para o seu lado."

DF. "Minhas experiências foram sempre maravilhosas! Eu até já escrevi contos sobre elas. Tem um bem especial sobre quando saí com um chinês que tinha muitos tabus."

JMA. "Minha experiência foi ruim. Levei um fora de uma moça da Nigéria e foi horrível, fiquei morto de vergonha."

JGM. "Tenho curiosidade mas ainda não tive a experiência. Talvez a trava com outras línguas me deixe com medo e me impeça no momento. Mas é algo a se pensar."

E você, já se aventurou no além mar? Tem vontade ou prefere flerte de pertinho, ainda que virtual? Conta pra gente nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato