PUBLICIDADE

Topo

Mayumi Sato

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Aprenda o shibari, técnica de amarração de BDSM, com aulas pela internet

Como praticar Shibari durante a pandemia_Akira - Divulgação
Como praticar Shibari durante a pandemia_Akira Imagem: Divulgação
Mayumi Sato

Mayumi Sato é meio de exatas, meio de humanas. Pesquisadora e diretora de marketing do Sexlog quer ressignificar a relação das pessoas com o sexo e, para isso, acredita que é preciso colocar a mão na massa, o que inclui decodificar o comportamento humano. Ao longo dos anos, estudando e trabalhando com o mercado adulto, passou a fazer parte de uma rede de mulheres interessadas e ativistas no assunto, por isso sabe que não está "não estamos" só. Idealizadora do cínicas (www.cinicas.com.br) e feminista sex-positive.

Colunista de Universa

28/03/2021 04h00

Apesar de ter abandonado o meu perfil no Instagram há muitos meses, me surpreende a quantidade de mensagens que eu recebo toda semana por lá perguntando sobre as minhas fotos de shibari, uma técnica de amarração japonesa muito apreciada por praticantes de BDSM.

As fotos, de fato, são muito bonitas e chamam a atenção. Mas o mais curioso é que as mensagens, em sua maioria, são de pessoas querendo aprender a técnica e aprender mais profundamente sobre a prática.

Antes da pandemia eu saberia pelo menos um ou dois lugares para ir e se enturmar com o pessoal do Shibari. Depois que o isolamento social se tornou regra, fiquei meio sem referências. Daí que decidi ir atrás das pessoas que realmente manjam das coisas pra saber o que tem rolado na comunidade de Shibari nos últimos tempos pra indicar para quem quer se engajar nela a partir de agora:

Shibari_Amauri - Foto Divulgação - Foto Divulgação
Amauri
Imagem: Foto Divulgação

O Amauri é o meu amarrador oficial e quase todas as minhas experiências com shibari foram com ele. Quando nos conhecemos era tudo mato e ninguém tinha ouvido falar de nada disso (muito menos de nós), mas hoje ele é chamado para amarrar figuras como Pabllo Vittar e Sabrina Sato (tá, meu bem!). E eu já posso me gabar de ter algo em comum com elas :)

Amauri me contou que anda participando de filmes e documentários sobre amarrações e fetiches e eu recomendo acompanhá-lo nas redes sociais pra saber de mais detalhes.

Shibari_Akira - Divulgação - Divulgação
Akira
Imagem: Divulgação

Akira é do Rio de Janeiro e trabalha exclusivamente com Shibari há alguns anos. Ela ministra aulas, workshops, produz ensaios e nunca tinha pensado em fazer algo online para a prática. Até, é claro, que veio a pandemia. Agora, ela ministra aulas online, com sessões privadas no zoom e também realiza workshops em grupo pela internet: "Meu alcance aumentou, agora tenho alunos de outros estados e de fora do Brasil. E sem o custo de deslocamento, consigo cobrar mais barato".

Ela também conta que participou recentemente de uma conferência internacional, o Queer Rope, conduzida por um espaço de Shibari de Berlim. Akira palestrou para mais de 160 pessoas de todo mundo, ao vivo, e isso tem sido importante para a comunidade como um todo, já que possibilita a presença de pessoas que, antes, não teriam condições de participar do evento que era exclusivamente presencial.

Além das aulas ao vivo, ela prepara também um infoproduto que deve ser lançado em breve. Para saber mais, acompanhe no insta da Akira.

Shibari_Sansa - Divulgação - Divulgação
Sansa
Imagem: Divulgação

Sansa é artista, fotógrafa e educadora de Shibari. De São Paulo, ela tem um espaço dedicado à prática e ao ensino das técnicas de Shibari, mas atualmente também está só em versão online, promovendo workshops, grupos de estudo e lives com performance. Pra quem se interessar, também recomendo acompanhar nas redes sociais.

Já conhecia shibari ou já tinha interesse pela prática? Manda aqui suas dicas nos comentários!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Mayumi Sato