PUBLICIDADE

Topo

Maqui Nóbrega

Pare com a nostalgia e seja realista: ser adolescente era um saco!

Elenco da série Dawnson"s Creek, sucesso adolescente dos anos 90 - Divulgação
Elenco da série Dawnson's Creek, sucesso adolescente dos anos 90 Imagem: Divulgação
Maqui Nóbrega

Maqui Nóbrega é designer, produtora de conteúdo para internet, feminista, gorda, um pouco chata, bastante legal e nada romântica.

Colunista do UOL

01/12/2020 04h00

Olá, meu nome é Mariana, tenho 35 anos e estou assistindo Dawson's Creek.

Um dia estava procurando algo pra ver, trombei com a foto daquele moleque loiro com cabelo em formato de M, fui transportada pra 1998, quando eu tinha 13 anos, e decidi reviver, junto com os personagens, a adolescência. Minha conclusão? Porra, ser adolescente era um saco! Acho que eu tinha esquecido disso.

Eu já vi tanta gente declarar que adoraria voltar pra aquela época, onde tudo era mais simples, sem boletos e o único problema era acordar cedo pra ir pra escola, mas pelo amor das deusas, vocês estão lembrando errado!!! Apesar de nesse momento eu estar "convivendo" só com adolescente fictícios, minha memória não me deixa esquecer justamente do contrário: na adolescência, praticamente TUDO era um problema.

Acordar cedo para ir à escola. Tentar deixar o uniforme mais a sua cara. Com quem ficar no recreio. O carinha do terceiro colegial te olhou, mas será que foi porque ele te curte ou porque você está com uma espinha na testa? Deve ser a espinha, porque todo mundo sabe que você nunca nem beijou, então por que ele gostaria de você? Vai ter show da sua banda favorita, mas sua mãe não a deixa ir. Suas amigas se encontraram depois da aula e não te chamaram. Você foi mal na prova daquela matéria que odeia, mas tem que engolir porque supostamente vai usar no futuro. Falando em futuro, qual vestibular você vai prestar? 17 anos, tá na hora de saber o que quer ser da vida!

Tudo isso, e mais um pouco, é questão de vida ou morte para uma adolescente. Minha gente, o sofrimento era REAL! Fiquei exausta só de lembrar! E olha que estou falando da minha perspectiva, de uma adolescente que teve tudo que precisava e pode se ocupar apenas de ser adolescente, sem ter que cuidar do irmão mais novo, trabalhar para ajudar a mãe ou lidar com um pai que foi embora e não paga pensão.

Eu sei, eu sei, tem muita coisa legal que a gente vive aos 15 ou 16 anos, mas elas nem se comparam a delícia de ser adulto e ter de fato a sua própria vida.

Parem de romantizar o passado! Em todos os sentidos. Pode ser que em comparação ao presente, às vezes ele pareça melhor, mas é o agora que importa, é o agora que a gente pode afetar. Deixa pra viver a nostalgia só na ficção!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.