PUBLICIDADE

Topo

2020 vai contar como ano vivido?

Pra-chid/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Pra-chid/Getty Images/iStockphoto
Maqui Nóbrega

Maqui Nóbrega é designer, produtora de conteúdo para internet, feminista, gorda, um pouco chata, bastante legal e nada romântica.

Colunista do UOL

13/10/2020 04h00

Essa semana que não sabia sobre o que escrever aqui. Fiquei dias e dias pensando e não me vinha nada, nenhuma experiência que eu tenha vivido e quisesse contar, nenhum filme interessante que me inspirasse uma coluna, nada. E foi aí que eu me toquei, como está faltando repertório em 2020, né? Esse texto vai ser meio maluco, porque acho que pela primeira vez na breve história dessa coluna, eu não tenho uma resposta, só muitas perguntas. Quero propor uma reflexão e ver se vocês me ajudam.

Sei que muita gente está com a quarentena flexibilizada (eu ainda tento só sair pro essencial, mas já não tão rígida quanto antes), mas pelo menos por uns seis meses, acredito que a maioria das pessoas estava na mesma. Até quem furou a quarentena, não tinha muito para onde ir, já que estava tudo fechado. E por isso a gente não viajou, não conheceu novos lugares, não tocou (literalmente) novas pessoas... Mas será que só isso é viver? Como a gente contabiliza coisas vividas? Para quem não fez nada grandioso esse ano, 2020 vai contar?

Eu, por exemplo, entrei em um looping de acordar-tomar café-limpar o côco do cachorro-sentar no computador pra trabalhar-ligar a TV em algum episódio de Seinfeld-almoçar-voltar pro computador-jantar-tomar banho-ler um livro-dormir. E repete. É sério, diariamente eu deixo Seinfeld passando na TV, às vezes no mudo enquanto trabalho, às vezes com som. Tirando os dias em que saio para ir ao mercado, as eventuais visitas a veterinária, uma ida ou outra na casa da minha melhor amiga, todo santo dia é a mesma coisa. Há 8 meses. A verdade é que eu nem sei como é que eu tive ideia para tanta coluna até agora, isso sim!

E olha, definitivamente não estou reclamando. Pior está quem não teve a opção de trabalhar de casa desde que estourou essa pandemia, ou ficou desempregada, sem grana, perdeu alguém... Eu sei que eu tenho muita sorte. Mas sei também que, mentalmente, ficar em casa 24h por dia afetou muita gente e não dá para ignorar isso.

Dá para se sentir inspirada vendo as mesmas coisas todo dia? É necessário se sentir inspirada sempre? Como aprender a viver com o tédio quando ele vira rotina? Dá para passar um ano inteiro (talvez mais, ainda não sabemos) vendo o mundo somente através de telas e não enlouquecer?

Na grande escala da vida, um ano parece pouco, mas em um segundo pode acontecer algo que te marca para sempre. 2020 vai nos marcar para sempre ou daqui a pouco vamos esquecer? Se vier uma nova pandemia, teremos aprendido algo com essa?

E, finalmente, alguém me indica uma nova série BOA para eu deixar passando na TV?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.