PUBLICIDADE

Topo

Maqui Nóbrega

Homens tóxicos: nos poupem do teatrinho do arrependimento

Maqui Nóbrega

Maqui Nóbrega é designer, produtora de conteúdo para internet, feminista, gorda, um pouco chata, bastante legal e nada romântica.

Colunista do UOL

06/10/2020 04h00

Senhoras e senhores, respeitável público, chegou a hora do circo do homem arrependido! Conhecido como o maior espetáculo da Terra, com atuações dignas de Oscar e uma pitada de rebranding pessoal, este é o seu guia para não cair nesse teatro.

Para ilustrar esse curioso caso que se repete todos os dias no mundo, vamos usar Arthur Aguiar como exemplo. Sabem quem é, né? O ator de Rebeldes. Bom, como todas vocês devem saber, Arthur era casado com Mayra Cardi. Um lindo casamento, tudo nos conformes, até Mayra postar nas redes que havia finalmente conseguido se livrar de um relacionamento abusivo. Traições recorrentes, manipulação, abandono, mentiras... O modus operandi de Arthur era o mesmo de qualquer boy lixo que você já conheceu na vida. Famosos ou não, eles são sempre iguais.

No começo, Arthur rebateu as acusações de Mayra. "Abusivo não", disse ele sobre ele mesmo. Como se algum homem na história já tivesse admitido que estava sendo abusivo, né não? Aí ele entendeu que em pleno 2020, esse papinho não ia colar. Ou ele admitia que cagou ou sumia de vez da internet.

Aqui entra o primeiro sinal de que tudo é um grande teatro: Arthur só se arrependeu porque foi pego. Ou melhor, só se arrependeu DE SER pego. Se Mayra não tivesse descoberto toda a farsa e postado pra todo mundo saber, ele continuaria negando tudo e fazendo ela achar que estava louca. Bom, ele tentou até fazer A GENTE achar que ela estava louca. Geralmente, mulher, quando você se sente mais louca, é quando está mais lúcida.

Mas ok, ele se "arrependeu", em um grande truque de mágica, de um dia pro outro mudou o discurso, pediu desculpas públicas pra Mayra e pra família dela, apareceu com os olhos marejados nos Stories clamando por paz, dizendo que estava devastado. Na verdade, ele quis dizer que sua reputação foi devastada. Poxa Mayra, nem pra resolver essa treta na privacidade do lar!

Até que, essa semana, Arthur estrelou o último ato do espetáculo: se converteu e virou evangélico. Disse que ouviu um chamado de Deus e que já esperava que as pessoas criticassem sua conversão, afinal, segundo ele, "o ser humano deu errado". Mais uma vez, o homem abusivo se colocando no lugar de vítima. Ah, de lambuja, ganhou um contrato na Record e papel em novela bíblica também. Hmmmm?

Eu pessoalmente não acredito que um homem que traí e mente sistematicamente possa mudar, mas entendo quem acredita e desejo toda a sorte do mundo ao se envolver com um deles, mas o lance aqui é outro. Quando um cara assim é exposto, é um serviço de utilidade pública que uma mulher presta pra todas nós. E não tô falando só do cara famoso que é exposto no Insta, serve pro boy que aquela sua conhecida pegou e depois contou no grupo do Whats o que ele fez também.

Você pode ignorar o alerta que vem anexado a esse cara, essa é uma escolha sua, mas é uma informação valiosa pra todas as mulheres. Se ele foi abusivo com a outra, provavelmente será com você também. Pode ser que ele aprenda a esconder melhor, mas se o Arthur Aguiar, que foi bombardeado por milhares de mensagens sobre seu comportamento, até agora não entendeu o que fez de errado, qual a chance do carinha da sua turma entender?

Homens, não adianta só se desconstruir, é preciso se reconstruir. E essa reconstrução leva tempo, às vezes uma vida inteira, acreditem na gente, estamos aí passando por esse processo há anos, sem sinal de que vai acabar. Em dois meses não rola ir de "abusivo eu nunca fui" pra "ouvi um chamado de Deus".

Se recolham e pensem de verdade, troquem ideia com os amigos sobre como o comportamento de vocês pode ser abusivo ou não, alertem outros caras sobre os erros que vocês cometeram, comecem de verdade uma conversa sobre isso entre os homens. Mas nos poupem do teatrinho do arrependimento, porque a plateia de vocês fica cada vez mais vazia! Ainda bem.