PUBLICIDADE

Topo

Closet de quarentena: minhas roupas não fazem mais sentido. As suas também?

Roupa que prende, salto que machuca, cinta que aperta, sutiã que marca... PRA QUE? - Kadu Lopes/Divulgação
Roupa que prende, salto que machuca, cinta que aperta, sutiã que marca... PRA QUE? Imagem: Kadu Lopes/Divulgação
Maqui Nóbrega

Maqui Nóbrega é designer, produtora de conteúdo para internet, feminista, gorda, um pouco chata, bastante legal e nada romântica.

Colunista do UOL

29/09/2020 04h00

Eu não sei bem o que está acontecendo, mas de umas semanas pra cá, parece que as minhas roupas não fazem mais sentido. Essa sensação se intensificou quando tive que montar seis looks diferentes para um trabalho e revirei tudo, tudo mesmo, e não gostei de muita coisa. Vejam, eu tenho bastante roupa, então não é uma questão de "não tenho nada pra vestir". É que quase tudo que eu tenho está me parecendo... estranho? Eu nem sei que palavra usar direito!

Postei sobre isso nos Stories e descobri que não era só comigo! Parece, minhas amigas, que estamos passando pelo imprevisível e inesperado efeito quarentena. Como isso nunca aconteceu antes na nossa vida, não temos muita base para comparação, mas pra mim fez todo sentido (ao contrário do meu guarda-roupa, risos).

Eu estou em casa direto desde março, saio só para o essencial, então faz tipo sete meses que eu não uso um jeans. Eu sei, eu sei, tem gente que usa jeans em casa, o que não entra na minha cabeça, mas para mim não rola. E paetê? Nem lembro a última vez. Então por que tem 6 calças jeans no meu armário e uns 3 vestidos de brilho? Eu já tinha minhas dúvidas se precisava de tudo isso antes, agora tenho certeza de que não preciso.

Mas esse não é um texto sobre moda sustentável, armário cápsula ou sei lá, apesar de serem assuntos importantes. Eu ainda não deixei de ser uma pessoa que tem mais roupa do que usa. Quem sabe um dia. O que eu quero dizer é que, junto com outras adaptações que a gente tem sido obrigada a fazer por conta da pandemia, era inevitável que as mudanças chegassem dentro de casa, que é nossa base pra tudo agora. E se elas bateram na nossa porta e entraram em casa, como não mexeriam nos armários? Não quero nem entrar no assunto organização e reforma aqui, mas é fato que muita gente está repensando todos os aspectos desse lance gostoso, mas que pode ser bem difícil, chamado viver em casa 24h por dia.

E falando de moda, se a linha que dividia o estilo do conforto já era tênue antes, agora ela praticamente sumiu, evaporou. Não me enxergo mais usando qualquer peça de roupa que me cause qualquer mínimo desconforto. Por exemplo, não conseguir sentar de perna cruzada porque a calça jeans não tem elastano. Sabe esse tipo de coisa? Ou sentir aquele alívio ao tirar o sutiã depois de um dia inteiro na rua? Na minha opinião, não existe mais espaço pro estilo sem o conforto. Ou os dois andam juntos ou não andam!

Roupa que prende, salto que machuca, cinta que aperta, sutiã que marca... PRA QUE? Analisa como você está se vestindo em casa. Repara! O conforto vem antes de tudo, não? Nós estávamos enfiando em roupas que pinicam PRA QUEM? Vale a pena?

Tenha seu vestido de paetê para quando a vacina chegar (o meu já está separado), mas se você também está se sentindo esquisita quando abre seu armário, desapegue! Doe, venda, troque com as amigas, bota esse armário pra jogo. Moda é identidade, então de repente, no fundo, só estejamos buscando novas formas de se expressar. Quem sabe a gente não se reencontra em outras peças? 2020 veio para mudar tudo mesmo!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.