PUBLICIDADE

Topo

Maqui Nóbrega

Quem foi que disse que a gente precisa chorar para sentir?

Bob Esponja chorando: será que todas aquelas cenas de filme fizeram a gente pensar que é preciso chorar para sentir? - Reprodução
Bob Esponja chorando: será que todas aquelas cenas de filme fizeram a gente pensar que é preciso chorar para sentir? Imagem: Reprodução
Maqui Nóbrega

Maqui Nóbrega é designer, produtora de conteúdo para internet, feminista, gorda, um pouco chata, bastante legal e nada romântica.

Colunista do UOL

11/08/2020 04h00

Esses dias finalmente pude conhecer meu sobrinho recém-nascido e quando postei uma foto do momento no Instagram, várias pessoas me perguntaram "você chorou?". Sempre que alguém me pergunta se eu chorei por alguma coisa e eu tenho que responder que não, me sinto meio monstro insensível. Mas não minto: não, eu não chorei.

E aí me bateu: por que diabos só registramos que uma pessoa sentiu algo muito intenso se ela chorou? Mergulhei em uma pesquisa no Google e não consegui sair mais de lá, socorro. Aprendi que, na verdade, produzimos lágrimas o tempo todo, mas elas vão dos olhos para o nariz e do nariz para a garganta. Quando as gotinhas excedem a quantidade normal, escorrem pelos olhos, seja por um estímulo emocional no cérebro, seja por um esbarrão da máscara de cílios. E aí a expressão "engole esse choro" nunca fez tanto sentido! Engolimos o choro todos os dias, o tempo todo. E as lágrimas não são tão especiais assim, vai.

Uma coisa que eu não precisei aprender porque já sabia, é que ver o outro chorar pode ser desesperador. Tem um episódio de Seinfeld em que o George Costanza pede para sua noiva que eles adiem o casamento. Ele sugere mudar a cerimônia para outro mês e imediatamente ela começa a chorar. "Você não me aaaaama, por que quer adiar o casamento?" diz a noiva. George, desesperado, concorda em manter os planos como estavam. "Quando você vê as lágrimas caindo, não sabe o que fazer, ela começou a chorar e era como um incêndio que eu só queria apagar", ele conta depois para o amigo Jerry. E eu acho essa metáfora genial, porque quando você não sabe lidar com o choro, você só quer que ele pare.

Porque sim, minha gente, o excesso de lágrimas também pode ser um problema. Se você não chora, é insensível, se você chora, é sensível demais. Aliás, estamos em 2020 e nem preciso falar que choro e gênero não tem nenhuma relação, né? O homem pode ter sido ensinado a esconder o choro, mas isso não quer dizer que ele não chora, só que chora escondido. Chorar não é coisa de mulherzinha, é coisa de humano.

Mas então qual é a quantidade ideal de lágrimas para não causar desconforto? Quem mede o nível de choro certo? Fingir chorar só para sensibilizar é menos honesto do que cobrar as lágrimas de alguém? Afinal, os crocodilos choravam ou não?

via GIPHY

Todas aquelas cenas de filme em que a pessoa, tristíssima, escorrega pela parede chorando, chorando, chorando, fizeram a gente pensar que é preciso chorar para sentir. Mas não é! Eu demorei pra aprender isso, antes até brincava que "estava morta por dentro" cada vez que não chorava em uma situação em que, por algum motivo, eu achava que tinha que chorar. Fui percebendo que meu choro vem geralmente acompanhado de uma situação com a qual simplesmente não sei lidar. Chorei quando meu pai faleceu, quando fui traída, quando falei uma merda insensível no Twitter e decepcionei uma galera, quando meu gatinho idoso morreu nos meus braços.

Mas com o amor, com a felicidade, com um bebê lindo no meu colo, eu sei lidar! E aí eu sinto, sinto bastante, sinto do meu jeito e esse jeito é sem lágrimas. E ele é tão válido quanto qualquer outro. Como é o seu?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.