PUBLICIDADE

Topo

Fabi Gomes

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Qual seu pensamento recorrente em 2022?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Fabiana Gomes Fabi Gomes

Fabi Gomes é maquiadora e bonne vivante ? gosta de das coisas boas da vida, como artes, literatura, sexo, cinema, culinária, viagens. Está sempre atenta ao poder transformador e aos rumos da beleza.

Fabi Gomes

Colunista do UOL

07/01/2022 04h01

E aí, entrou bem? Bora trocar ideia sobre o que tá rolando com nossas mentes e corpos nesse janeirão?

Por aqui, estamos (um grupo de oito pessoas - precisamos falar sobre isso também) lidando com dilemas relacionados à colheita dos excessos plantados nessas últimas semanas. Resolvi perguntar aos convivas qual foi o pensamento mais recorrente em suas mentes nesse início de ano.

"Só pensei se eu tava com Covid. Meus planos já estavam definidos desde o ano passado" - Cibele, 38 anos, aquariana.

"Tô gordo, não consigo parar de comer, beber e fumar. Preciso ter mais autocontrole sobre isso, mesmo estando de férias. Não posso dar licença poética para as férias" - Kimberley, 29 anos, "capricórnia".

Kimberley também compartilhou um segundo pensamento, relacionado ao trabalho e a ganhar dinheiro. Acrescentou um outro: se vê reconsiderando as pessoas que estão em sua vida (estaríamos implicados nisso?). Kimberley ainda diz que está cogitando deletar suas redes sociais e estar mais presente em sua vida real. Aparentemente, Kimberley caga para o Metaverso...

"Preciso mudar radicalmente meu estilo de vida. Minha mentalidade vai ter que mudar, porque, se não, não vai ter jeito" - Jailsa, 41 anos, de áries. Perguntei a que exatamente Jailsa se referia, no que a linda responde: alimentação, consumo de álcool e de substâncias e frequência de exercícios físicos. Só isso, Jailsa? "Uhum".

"Preciso fazer com que tudo que eu quero dê certo, trabalhar, trabalhar, trabalhar. Me sinto recarregado pra arrasar!" - Salomão, 29 anos, geminiano.

"Quer mudar alguma coisa?" - pergunto, inspirada pela coisa geminiana, já que bateu uma brisa aqui e imaginei que as ideias pudessem ter sido revolvidas. Me mandou ficar na paz.

Chega a vez de "Hot the Clock", que estava dando um rolê com as cachorras, responder: "tava na vibe da suspeita da covid e H3N2. Tava com medo 'dessas porra'" (sic) - do alto de seus 39 anos, libriano. "Depois eu relaxei... fiquei entrando em sintonia com a natureza, observando os cavalos, os pássaros...". É importante ressaltar que "Hot the Clock" tem feito experimentos com psilocibina (cogumelos mágicos). Ele acrescenta, então, estar encantando com "Torto Arado", livro que começou a ler nessa viagem.

Ao escutar o depoimento de "Hot the Clock", Kimberley, sua companheira, se emociona e lança: "ah, o 'Hot the Clock' é diferenciado mesmo..."

Quanto ao meu pensamento recorrente, vou deixar para semana que vem, mas posso adiantar que todo drink, barriga de porco e docinhos ingeridos tão ecoando fortemente aqui. Adoraria inventar algo mais nobre e elevado, pero, assim como Kimberley, também tenho pensando em mudar radicalmente meus hábitos... aham, senta lá, Claudia. Aliás, vou tentar a receita do vídeo da Diva aos 50.

Dos dos oito membros do grupo, dois não quiseram opinar. Como respeitamos a democracia, seguimos sem seus depoimentos. Nomes e histórias podem ser ficcionais. Guarde suas armas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL