PUBLICIDADE

Topo

Débora Miranda

Quebrando barreiras: quem é a atleta que apresentou Kamala Harris na posse

A jogadora de futebol americano Sarah Fuller e o capacete: "Jogue como uma garota" - Reprodução/Instagram
A jogadora de futebol americano Sarah Fuller e o capacete: "Jogue como uma garota" Imagem: Reprodução/Instagram
Conteúdo exclusivo para assinantes
Débora Miranda

Débora Miranda é jornalista e editora do UOL. Neste blog, conta histórias de mulheres no esporte, mostrando como a atividade física pode transformar vidas e o mundo.

Colunista do UOL

24/01/2021 04h00

"Ver outras mulheres quebrando barreiras e sendo as primeiras no que fazem me deu força para vencer." O trecho do discurso de Sarah Fuller, responsável por apresentar a vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, na celebração da posse diz muito sobre ambas.

Kamala Harris, o mundo já sabe, é a primeira mulher a ser eleita vice-presidente norte-americana. Mas ela é mais do que isso. Ao tomar posse, na última quarta-feira (20), tornou-se a primeira pessoa negra e a primeira de origem asiática a assumir a Vice-Presidência daquele país. Ela eternizou a frase: "Posso ser a primeira mulher a ocupar esse cargo. Mas não serei a última".

Pois Sarah Fuller, que ganhou a missão de anunciar a nova vice-presidente na cerimônia televisionada, também tem conquistas inéditas —mas no mundo do esporte. Sarah é a primeira mulher a jogar na liga conhecida nos EUA como Power Five, que reúne times universitários de futebol americano. Outras mulheres já jogaram futebol americano universitário, mas nenhuma chegou à Power Five, que é famosa por ser uma liga de elite, com os melhores times.

Sarah jogava futebol (o tradicional, como conhecemos aqui no Brasil) pela Vanderbilt University e mudou para o futebol americano no ano passado. Sua estreia no novo esporte aconteceu no fim de novembro, quando ela entrou em campo pelo novo time, o Commodores —formado por homens. No capacete de proteção, a inscrição: "Jogue como uma garota".

Além da mensagem óbvia, o "jogue como uma garota" faz referência, segundo o jornal "The New York Times", a uma ONG que Sarah apoia e que promove esportes para meninas.

Embora jovem (ou talvez por isso), Sarah, 21 anos, fala frequentemente em prol das mulheres no esporte. Ela sabe o esforço que investiu para chegar aonde chegou e conhece os próprios méritos. Inclusive o mais incrível deles até aqui: ela era a grande esperança daquela equipe de futebol americano (que também pertence à Vanderbilt University).

Enquanto o time de futebol do qual ela fazia parte vinha vencendo e conquistando campeonatos, o de futebol americano não havia ganhado nenhum jogo durante toda a temporada. E Sarah, por ter um chute poderoso, foi convocada a ajudar.

O capacete de proteção da jogadora de futebol americano Sarah Fuller - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
O capacete de proteção da jogadora de futebol americano Sarah Fuller
Imagem: Reprodução/Instagram

Treinando a menos de uma semana com a equipe, postou na internet: "Vamos fazer história". E Sarah se tornou a primeira mulher a pontuar na Power Five.

Claro, não sem antes enfrentar machismo e discriminação. Ao "New York Times", ela disse: "Gostaria de afirmar que a história mudou um pouco. Gostaria, mas ainda há pessoas nas redes sociais dizendo que eu não deveria estar fazendo isso. De qualquer forma, há muito mais positividade e pessoas pressionando para que isso seja normal. Para que isso seja o que nós esperamos daqui para a frente".

Sarah foi a primeira, mas, como Kamala, não será a última.

Veja também: