PUBLICIDADE

Topo

Ana Paula Xongani

Grupo de amigas mara: é sempre orgânico ou podemos construir boas relações?

MStudioImages/iStock
Imagem: MStudioImages/iStock
Conteúdo exclusivo para assinantes
Ana Paula Xongani

Ana Paula Xongani é multiempresária: no Ateliê Xongani, de moda afro-brasileira, e também na empresa que leve o seu nome, de criação de conteúdo. Apresenta o programa Se Essa Roupa Fosse Minha, no GNT, sobre moda consciente. Fala com leveza e responsabilidade sobre temas sempre importantes para que todo mundo junto construa um mundo mais justo e acolhedor para todos, especialmente para as mulheres pretas. Ativismo afetivo, como costuma dizer.

Colunista do UOL

24/12/2020 04h00

Se tem uma coisa que sempre tive certeza é que a amizade é essencial.

Sempre falo também que a gente tem que cuidar bem das amizades, porque vocês sabem: os amores vem e vão. Para quem tem filhos, eles crescem e vão ter a vida deles também, o que é muito importante e saudável. E acaba que a gente tem muito mais chance de ter ao nosso lado, por um período longo da vida, quando não a vida toda, as amigas, amigos e amigues. Muito mais do que em qualquer outra relação.

Uma vez, postei nos meus stories lá no Instagram, uma foto minha com minhas amigas na madrugada, naquela época em que a gente podia aglomerar e se divertir juntas pela cidade. Recebi vários comentários dizendo: "eu queria muito ter um grupo de amigas como você tem".

Aí, eu lembrei que teve uma fase da minha vida, logo depois que me casei, quando eu tinha uns 22 anos, em que eu também não tinha muitos amigos. Me lembro como se fosse hoje meu companheiro comentando isso comigo e dizendo que seria muito importante isso pra mim, ter amigos.

Hoje, as coisas mudaram completamente. Eu sou uma pessoa com muitas amigas e amigos maravilhosos ao meu redor. E muitos colegas também. Aliás, sobre colegas, é importante demais a gente ter colegas. Como diz o ditado, dá pra contar os amigos de verdade nos dedos de uma mão, mas colegas a gente tem um monte. E tudo bem. Os colegas, muitas vezes, são aquelas pessoas que tem programação sempre, que te fazem dar risada e tal. E também tem outra coisa importante: nem todo mundo precisa ser ou vai ser seu melhor amigo da vida.

É claro que não tenho uma fórmula mágica nem a receita do sucesso para ter amigos, mas quero compartilhar com você que está lendo esta coluna, como foi pra mim virar o jogo. Como fiz pra hoje ter as melhores amigas do mundo ao meu redor.

Comecei a perceber que nessa fase adulta, as amizades não são necessariamente orgânicas, tipo um amor à primeira vista das amizades, sabe? Na fase adulta, as amizades começam a ser muito mais estimuladas, até de uma forma pragmática mesmo. Pelo menos comigo funcionou assim. A gente precisa conquistar algumas pessoas para serem nossas amigas.

E digo isso por diversos motivos. A gente tem menos tempo mesmo, a gente se encontra menos, a gente trabalha muito, estudo muito. Vários motivos acabam fazendo com que a gente vá se distanciando do exercício de fazer amizades.

Quando me liguei disso, passei a me dedicar - dedicar mesmo - a conquistar boas amizades. Então, decidi organizar isso em 5 dicas, mas ó! São para quando o isolamento social terminar, ok? Vamos lá?

  1. Selecione pessoas queridas: sabe aquela pessoa que você curte, admira, já cruzou em algum ou em vários rolês, num show, numa peça de teatro, já trocou uma ideia e foi legal? Então, essa pessoa. E aí pense em mais pessoas que te fazem sentir as mesmas coisas. Pense num grupo pequeno.
  2. Quando o isolamento passar, convide essas pessoas para irem à sua casa: isso mesmo, convide-as para ir à sua casa, peça que levem um vinho, algo pra beber e tal. Mas, atenção. Não vale bar, não vale restaurante, não vale lugar público. A ideia é que seja um lugar intimista, sem distrações, um lugar onde não vão encontrar outras pessoas conhecidas. É importante um lugar em que poderão concentrar a energia entre as pessoas, nas trocas de conversas, de risadas, de olhares mesmo. A energia precisa estar focada naquele momento.
  3. Comida é afeto: é legal que você ofereça comida. Você pode pedir uma pizza? Pode! Mas, é muito impessoal. Se puder fazer comida, faça! Porque comida é afeto. O fazer, sabe? "Eu fiz pra você!". No meu Instagram, inclusive, tem um destaque com várias receitinhas, caso queira umas diquinhas mara.
  4. Hora do discurso: Chegou todo mundo? É hora de contar a elas que elas foram convidadas porque você as admira de longe, do trabalho, das redes, daquele dia que trocaram uma ideia. Convidei vocês, escolhi vocês para passar um tempinho legal e gostoso. Todo mundo adora se sentir querido, cuidado, admirado. Né?
  5. Firmar um compromisso gostosinho: pode ser um compromisso culinário, tipo de uma pessoa cozinhar para o grupo de tempos em tempos. Pode ser um compromisso financeiro, de juntar uma grana pra fazer um passeio ou uma viagem juntas, várias coisas. Mas, algum compromisso precisa se firmar. Todo mundo vai se sentir comprometido com aquele grupo e sem contar que, só aí vocês já vão ter um período trocando ideias, juntas mesmo. E é nesse período que a mágica da amizade vai acontecer.

Eu sei que pode parecer algo pragmático, mas vai por mim. Vai dar certo. Vai dar muito certo, depois vai virar um lugar de muito amor. Vai por mim.

Hoje, as principais amizades, as que mais convivo, confio e me apoio são de dois grupos que se formaram assim. Um, inclusive, eu não selecionei, fui selecionada! Um grupo de famílias com filhos, pensando muito em reunir crianças negras para brincarem, mas acabou que os pais também se tornaram muito amigos e próximos. Uma rede de apoio e amizade mesmo.

A gente tem uma vida tão maluca, tão doida, que se a gente não começar a colocar como compromisso a amizade, da mesma forma que temos compromisso com tantas coisas, de repente a gente olha pro lado e está sozinha. E sozinha não é legal ficar. Basta construir. Cuidar com carinho, se dedicar às amizades. Assim, acredita, você vai estar cuidando de você mesma!

Então, para esse 2021, eu desejo muito boas amizades pra vcs!

É isso!