PUBLICIDADE

Topo

Ana Canosa

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

#Sariette: por que tem gente torcendo pela pegação entre mulheres no BBB?

Sarah e Juliette dormem abraçadas no BBB 21. Você também shippa esse "casal"? - Reprodução / TV Globo
Sarah e Juliette dormem abraçadas no BBB 21. Você também shippa esse "casal"? Imagem: Reprodução / TV Globo
Ana Canosa

Ana Canosa é psicóloga clínica, sexóloga, professora, escritora e comunicadora. Apresenta o podcast Sexoterapia, em Universa/UOL. Sendo há 28 anos testemunha das mais diferentes histórias afetivas, é categórica em afirmar que muitas vezes, só o amor não é suficiente. Fala de sexualidade desde que se entende por gente, unindo seus estudos acadêmicos com a experiência clínica e seu olhar de observação do mundo.

Colunista de Universa

27/02/2021 04h00

'Não sou bi, mas já beijei mulheres', disse Juliette, durante uma conversa descontraída no Big Brother Brasil 21. Já Sarah, podemos dizer que é uma é heterossexual "curiosa": afinal, deu seu primeiro beijo triplo em uma das festas do BBB. As duas, que são bem próximas no programa, já dividiram a cama - só para dormir, que fique claro. Mas não precisou mais do que isso para acender o interesse do Brasil.

Segundo as enquetes de redes sociais, o povo está "shippando" para que as duas mulheres que participam do BBB 21 fiquem juntas e formem um casal. Alimentando, assim, uma das fantasias sexuais mais comuns dos últimos tempos: o sexo entre mulheres.

Muito embora a maioria das pessoas heterossexuais só tenha uma leve percepção do que seja de fato o sexo lésbico, pois tem como referência os filmes pornográficos, não há dúvida que boa parte dos homens heterossexuais sonha em um dia, se imaginar entre duas mulheres.

Talvez essa fetichização dê ao homem uma sensação de poder, de ser uma espécie de pachá com um mini harém ao redor; ou a fantasia de ter seu corpo tocado por mais de uma mulher, duplicando o prazer. Conheço muitos que tem a fantasia, mas não se arriscam, com receio de não dar conta.

Mas o que explicaria essa satisfação sexual em ver duas mulheres interagindo eroticamente, que agrada não só os homens heterossexuais, mas mulheres heterossexuais também? (além de mulheres lésbicas, obviamente)

Muitos estudos apontam que as mulheres heterossexuais são mais fluidas na sua orientação sexual, o que favoreceria que, mesmo que tenham atração sexual por homem, se excitem por imagens de mulheres fazendo sexo e que, inclusive, tenham curiosidade em experimentar.

Há também estudiosos que apontam para o fenômeno conhecido por "lésbicas tardias", mulheres heterossexuais que mudam sua orientação sexual e, portanto, transitam para uma identidade lésbica mais tarde na vida, sem que isso seja efeito de repressão sexual anterior. Não estavam no armário, simplesmente aconteceu, não por escolha, mas por ímpeto.

Os pesquisadores também apontam para o fato de que a conexão entre mulheres tende a ser sentida como mais forte do que a que acontece entre um homem e uma mulher.

Mas não é só isso.

Uma pesquisa realizada com 10 mulheres heterossexuais que tem também relações esporádicas com outras mulheres revelou que a grande maioria delas busca no sexo com outras mulheres preliminares mais longas, além de facilidade na obtenção de orgasmo através do sexo oral. Homens preguiçosos e egoístas produzem sexo de baixa qualidade.

De fato, vários estudos comparativos já mostraram a discrepância no índice de orgasmo feminino, mostrando que é mais comum estatisticamente obtê-lo em relações entre mulheres do que nas relações heterossexuais. Isso mostra também que as mulheres não estão só atrás de carícias e afagos, mas sim de prazer sexual

Há uma vertente que aposta na facilidade que as mulheres tem no contato com o corpo das demais, fruto da liberdade que tiveram na infância para tal. Embora esse contato não tenha sido muito "permitido" nos genitais, nós mulheres aprendemos que afago e carinho não são necessariamente um passo para o ato sexual, mas um prazer que mistura afeto com toque. Veja as meninas abraçando as demais. Claro que um rala e rola corporal pode excitar e é possível uma amizade carinhosa transformar-se em sexo, sem que a mulher tenha orientação homoafetiva. Soma-se a isso a curiosidade, e o fato de que entre mulheres não há necessidade de penetração, algo mais invasivo do que mãos e bocas, e voalá!

Há quem explique o interesse pelo corpo feminino com certa fascinação pelos seios que pode ser observada entre meninos e meninas e que isso teria relação com uma memória primitiva e inconsciente de ser nutrido, emocionalmente pela mãe, além do investimento de prazer no ato de sugar. Sendo assim as mulheres teriam naturalmente o mesmo interesse que os homens, por essa parte do corpo, o que pode ser um passo para o ato sexual.

Nessa linha, em se tratando de estética e apelo erótico, vamos combinar que até hoje o corpo feminino é o referencial de beleza, é o que estampa as revistas, as peças publicitárias, então podemos pensar que o bombardeio de imagens atinge também as mulheres heterossexuais, talvez com um grau de interesse erótico menor do que para homens ou lésbicas

Em suma, a fluidez sexual ocorre em homens e mulheres, mas as mulheres são mais abertas e maleáveis nesse sentido. Resta saber se a curiosidade de Sarah e Juliette será suficiente para tanto.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL