PUBLICIDADE
Topo

Deu Tilt #19: NFT: por que comprar algo digital, se eu posso copiar?

Mais Deu Tilt
1 | 19

Thiago Varella

Colaboração para Tilt

11/06/2021 04h00Atualizada em 11/06/2021 11h01

Você já ouviu falar em token não-fungível, ou NFT? Esse nome esquisito, na verdade, descreve um sistema de autenticação de itens digitais que são comercializados geralmente via leilão. É o que permite a qualquer pessoa comprar, por exemplo, um meme. Ou um lance da NBA.

Mas para que comprar um NFT se eu posso simplesmente copiar o que está na internet? Para explicar melhor esse assunto, o 19º episódio do podcast Deu Tilt recebeu Gustavo Torrente, que é coordenador acadêmico de MBAs da FIAP e especialista em blockchain, e Paula Menezes, que é advogada e membro da comissão de propriedade intelectual da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo).

Ouça o episódio na íntegra no player acima.

Algo fungível é quando você consegue trocar por outra coisa de mesmo valor, como uma nota de dinheiro. Já o não-fungível é o contrário, como uma obra de arte. Uma pintura do Picasso não tem preço, por isso vai a leilão e quem pagar mais, leva.

De fato, é possível copiar um meme da internet de graça. Mas, de repente, pode ser que alguém queira ter o original daquilo, como acontece com uma foto física. Para Menezes, há quem valorize um livro autografado por um autor e pague milhões por essa obra. E há quem compre na banca a mesma obra por R$ 10. Isso também se reproduz no mundo digital (ouça a partir de 07:33).

"Tem coisas que o mundo digital vai possibilitar que são difíceis no mundo físico. Fico pensando em um show. Todo mundo pode ir naquele show. Mas o artista pegou o celular e colocou ali num local de forma íntima. Aquilo ali deve ser muito importante para um fã, que vai pagar milhões para ter aquele vídeo que o artista fez com o próprio celular", afirmou.

Vários itens já foram vendidos via NFT, como alguns memes, obras de arte e músicas. Mas, para o futuro, Torrente vê uma gama ilimitada de itens sendo comercializados dessa forma (ouça a partir de 33:10).

"Imagina só o criador do Mario criando uma arte exclusiva? Quanto um fã não pagaria por isso? Ou filmes. Um fã, por exemplo, de 'Game of Thrones' poderia ganhar um vídeo exclusivo. Tem muita coisa que dá para transformar em ativos digitais", explicou.

Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição de áudio. Você pode ouvir "Deu Tilt", por exemplo, no Spotify, na Apple Podcasts e no YouTube.