Topo

O encontro de brasileira da Nasa com a cientista que a motivou há 49 anos

Frances "Poppy" Northcutt e Rosaly Lopes: encontro 49 anos depois de inspiração - Arquivo Pessoal
Frances 'Poppy' Northcutt e Rosaly Lopes: encontro 49 anos depois de inspiração Imagem: Arquivo Pessoal

Gabriel Francisco Ribeiro

Do UOL, em São Paulo

19/07/2019 04h00Atualizada em 21/07/2019 07h45

Resumo da notícia

  • Rosaly Lopes, que trabalha na Nasa desde 1991, encontrou cientista que a inspirou
  • Foto de Frances 'Poppy' Northcutt em jornal de 1970 fez Lopes acreditar em potencial
  • 'Poppy' foi uma das mulheres pioneiras no programa Apollo norte-americano
  • 49 anos depois, elas se encontraram em meio a comemorações da ida do homem à Lua

Rosaly Lopes tinha 13 anos quando viu uma foto em um jornal. A imagem mostrava uma mulher, jovem e loira, trabalhando em meio a outros cientistas homens no programa espacial norte-americano. Era Frances 'Poppy' Northcutt, uma das pioneiras de sua área e que participou das missões Apollo que culminaram na ida do homem para a Lua há 50 anos.

Aquilo fez surgir uma inspiração na brasileira: era possível mulheres trabalharem e terem sucesso nesse setor ocupado principalmente por homens.

Quase 50 anos depois, Rosaly atingiu seu objetivo: trabalha na Nasa desde 1991, sendo agora uma pesquisadora sênior do JPL (Jet Propulsion Laboratory, ou Laboratório de Propulsão a Jato na tradução livre). E, na quinta-feira (11) da semana passada, conheceu a mulher que a inspirou a seguir carreira como astrônoma há tantos anos.

Há 49 anos que queria encontrar com ela e na semana passada pude conhecê-la pela primeira vez
Rosaly Lopes, pesquisadora brasileira da Nasa, ao UOL

A inspiração

A mulher em questão que despertou uma paixão em Lopes era Frances 'Poppy' Northcutt. Norte-americana de Houston, no Texas, onde o programa Apollo era impulsionado, ela foi a primeira engenheira feminina a trabalhar na sala de controle de missão da Nasa, durante os trabalhos com a Apollo 8.

O retrato no jornal, acompanhado de uma matéria, apareceu em 1970 - Rosaly, carioca de Ipanema, não tem certeza se o viu no O Globo ou no Jornal do Brasil. Não importa: aquele fragmento, exemplo mais claro de como representatividade importa, a marcou profundamente.

Frances 'Poppy' Northcutt, cientista pioneira na Nasa - Cortesia de ZUMA Press, Inc./Alamy Stock Photo
Frances 'Poppy' Northcutt, cientista pioneira na Nasa
Imagem: Cortesia de ZUMA Press, Inc./Alamy Stock Photo

"Ela calculava trajetórias para trazer os astronautas de volta para a Terra. E quando vi uma foto dela no jornal percebi que era realmente possível para mulheres trabalharem na Nasa nessa área. Guardei aquele recorte de jornal por muito tempo e isso foi uma inspiração muito grande para mim", relembra Rosaly.

O recorte acabou sendo perdido entre mudanças de domicílios, mas nunca foi apagado da mente da brasileira, responsável atualmente por procurar vestígios de vida em Titã, uma das luas de Saturno.

A caçada por 'Poppy'

Não foi fácil para Rosaly Lopes achar a norte-americana que inspirou sua carreira. Anos depois de trabalhar no programa Apollo, a então engenheira mudou de área e passou para a advocacia - o que fez ambas estarem em campos diferentes de atuação e sem os contatos em comum.

Pior: Rosaly Lopes trabalha e mora em Pasadena, na Califórnia, enquanto 'Poppy' vive em Houston, cidade do Texas. Ou seja, estão em cantos quase opostos dos Estados Unidos. Para chegar a 'Poppy', Rosaly contou com uma ajudinha feminina de fora.

"Como advogada ela não tinha uma presença nas redes sociais muito grande. Eu sabia que ela tinha continuado morando em Houston e fiz um contato com uma funcionária do consulado brasileiro na cidade. Perguntei se ela conseguia ver no Google ou de alguma outra forma localizar essa moça. Eu tentei, mas não consegui", explica.

A funcionária conseguiu e inclusive fez o contato, telefonou para a 'Poppy' e disse que tinha uma moça brasileira que trabalhava na Nasa e queria falar com ela

O encontro

Ainda tinha uma barreira a ser superada: a distância. Com uma ajudinha da comemoração dos 50 anos da chegada do homem à Lua, isso foi vencido: a inspiração de Rosaly foi convidada para ir a Los Angeles, onde participou de um debate após a estreia de um documentário sobre o programa Apollo. No dia seguinte, conheceu o JPL, onde o encontro finalmente ocorreu.

A reação de Frances, segundo Rosaly conta, foi de surpresa. Ela sabia que tinha servido como um modelo de inspiração para muitas jovens mulheres, mas não imaginava que houvesse um efeito tão real e direto disso.

"Ela disse que nunca imaginava que tinha inspirado uma pessoa que foi tão longe. Ela recebeu na época cartas de meninas do mundo inteiro dizendo como foi importante elas verem essa mulher no centro de controle, mas não imaginava que tivesse uma que foi até onde eu fui. Ela ficou muito emocionada", recorda Rosaly.

Poucas pessoas podem dizer que sabem qual a sensação de encontrar a pessoa que a inspirou a fazer o que faz depois de anos. Rosaly pode. E a cara de felicidade estampada no rosto diz tudo. Você pode admirar esse encontro novamente abaixo porque merece:

Frances 'Poppy' Northcutt e Rosaly Lopes: encontro 49 anos depois de inspiração - Arquivo Pessoal
Frances 'Poppy' Northcutt e Rosaly Lopes: encontro 49 anos depois de inspiração
Imagem: Arquivo Pessoal

Mais Astronomia