Topo

Deu ruim! Espaguete gigante que tira plásticos do mar vai voltar para terra

Projeto Ocean Cleanup precisará repensar partes de seu coletor - The Ocean Cleanup/Divulgação
Projeto Ocean Cleanup precisará repensar partes de seu coletor Imagem: The Ocean Cleanup/Divulgação

Rodrigo Trindade

Do UOL, em São Paulo

08/01/2019 13h43

Em setembro de 2018, o projeto Ocean Cleanup lançou um coletor gigante de plástico no Oceano Pacífico, com o objetivo de limpar as águas de toneladas resíduos. Meses depois, o dispositivo de 609,6 m de comprimento precisará voltar para terra firme e passar por um conserto, já que uma parte da barreira rompeu e nem tudo funcionou como projetado.

Inventor do método de limpeza, o holandês Boyan Slat, 24 anos, explicou que o coletor vinha perdendo a forma que devia ser mantida para realizar a limpeza. Solto no oceano, o System 001 (como é chamado o dispositivo) circula pelas águas por meio do vento e das correntes com um formato de U. Ele captura objetos de plástico conforme se desloca, agrupando a sujeira e facilitando a limpeza.

No entanto, como o dispositivo perdia a forma, parte dos detritos recuperados escapava da coleta. Além disso, os responsáveis pelo Ocean Cleanup concluíram que o System 001 não deu conta do desgaste causado pelas ondas e tempestades que ocorrem no local onde o coletor operava, a mais de 400 km da terra.

Antes desse problema, o projeto já teria custado cerca de US$ 24,6 milhões, segundo a Forbes. Em uma publicação no blog da Ocean Cleanup, Slat detalhou a falha no dia 29 de dezembro, com o rompimento de um dos extremos do U, de 18 m de comprimento.

Gráfico mostra onde houve um rompimento no coletor do Ocean Cleanup - Divulgação
Gráfico mostra onde houve um rompimento no coletor do Ocean Cleanup
Imagem: Divulgação

O inventor do coletor disse estar frustrado pelo problema, pois queria que o dispositivo ficasse um pouco mais tempo no oceano para coletar mais dados e introduzir um desafio a mais para o projeto. Ainda assim, Slat celebrou o fato de o coletor trazer de volta "terabytes de dados" que ajudarão a desenvolver melhorias. E, apesar dos problemas, duas toneladas de plástico serão retiradas do oceano com o retorno do System 001.

Quando o coletor voltar ao mar, a expectativa de Slat e da Ocean Cleanup é que uma tonelada seja retirada do oceano por semana. Os responsáveis pelo projeto acreditam que o dispositivo voltará aos trabalhos ainda em 2019.

Mais Ciência