PUBLICIDADE
Topo

Quer ver a chuva de meteoros Leonídeos? Sexta será o melhor dia

Reprodução/fillthewell
Imagem: Reprodução/fillthewell

Larissa Leiros Baroni

Do UOL, em São Paulo

16/11/2017 04h00

O céu será invadido por estrelas cadentes na madrugada desta sexta-feira (17), graças ao pico da chuva de meteoros Leonídeos. Quem estiver no Norte e no Nordeste do Brasil terá uma vista mais privilegiada do que aqueles que estiverem no Sudeste e no Sul.

Essa é a penúltima grande chuva de meteoro do ano, que começou na primeira quinzena de novembro e vai até o dia 30. Mas o seu momento de maior visibilidade ocorre por volta das 3h de sexta-feira, como destaca Cássio Barbosa, astrônomo e professor do Centro Universitário FEI. 

Observatório de Harvard/SPL
Imagem: Observatório de Harvard/SPL

No horário, a visibilidade, segundo Barbosa, deve ser de até 10 meteoros por hora nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, 7, no Sudeste, e 4, no Sul. "Simultaneamente também estarão ocorrendo outras chuvas de meteoros menos conhecidas --como a de Taurídeos--, que tendem a favorecer a experiência dos espectadores", acrescenta.

No hemisfério norte, são estimados até 20 meteoros por hora.

Segundo o professor da FEI, os cometas se desintegram toda a vez que se aproximam do Sol e, quando a Terra passa pelo caminho que eles percorreram, os rastros de seus destroços entram em combustão ao atravessar a atmosfera terrestre. "É isso que forma as chuvas de meteoros, popularmente conhecidas como estrelas cadentes."

O cometa responsável pela chuva de meteoros Leonídeos é o Tempel-Tuttle, que completa uma volta em torno do sol a cada 33 anos. E ganhou o nome de Leonídeos porque "nasce" na constelação de Leo (localizada no leste –direção do nascer do Sol).

E não precisa se preocupar. O fenômeno não representa nenhum risco ao planeta Terra. Trata-se apenas de um lindo espetáculo espacial. 

Como ver?
Fenômeno pode ser muito bem visto a olho nu - Marcelo Zurita/ Reprodução
Fenômeno pode ser muito bem visto a olho nu
Imagem: Marcelo Zurita/ Reprodução

Não há nenhum mistério sobre como observar esse espetáculo espacial, muito bem visto a olho nu. "O uso de binóculos e telescópio minimizam consideravelmente as possibilidades de visualização dos meteoros", ressalta Barbosa, que sugere que os observadores deitem no chão, para aumentar o campo de visão do céu, direcionados para o leste (direção do nascer do Sol).

É importante buscar um lugar escuro, preferencialmente longe da luminosidade das grandes cidades. Vale ainda torcer para que o tempo esteja aberto e, consequentemente, o céu limpo de nuvens. As condições da Lua também podem interferir na observação, isso porque a sua luminosidade pode ofuscar bastante os efeitos luminosos dos meteoros.

Não ter pressa é outra dica. Lembre-se de que são necessários ao menos 15 minutos para que os seus olhos se acostumem com a escuridão, sem contar que as estrelas cadentes são fenômenos aleatórios.

Portanto, boa sorte e bom espetáculo! Ah! E se não conseguir ver nenhum meteoro que seja, programe-se que em dezembro será a vez da chuva de meteoros Geminídeos.

Tilt