Topo

Fóssil de ninho de dinossauros com "babá" é descoberto na China

Ninho de psitacossauros com 24 pequenos esqueletos e o crânio de um adulto - University of Pennsylvania
Ninho de psitacossauros com 24 pequenos esqueletos e o crânio de um adulto Imagem: University of Pennsylvania

Do UOL, em São Paulo

03/09/2014 13h30

Um ninho de dinossauros de 120 milhões de anos foi encontrado na província de Liaoning, no nordeste da China, em uma situação inusitada. Em meio aos 24 pequenos esqueletos há o crânio de um dinossauro adulto, o que parece ser a de uma espécie de "babá" cuidando dos filhotes.

Todos os fósseis de dinossauros encontrados juntos em uma rocha de 60 cm pertencem à espécie dos psitacossauros (Psittacosaurus lujiatunensis), um herbívoro que media de um a dois metros de altura e caminhava sobre duas patas. Para os pesquisadores, a disposição dos fósseis sugere que o dinossauro adulto cuidava dos pequenos.

Os 24 esqueletos menores são semelhantes em tamanho, com cerca de 15 cm de comprimento. Já o crânio do maior tem cerca de 11 centímetros de comprimento, indicando idade entre 4 e 5 anos. 

Como descobertas anteriores sugerem que a espécie não se reproduzia antes dos 8 ou 9 anos de idade, a hipótese levantada pelos pesquisadores é de que o adulto do ninho não é um dos pais dos filhotes. 

Os filhotes, ao que parece, já tinham saído dos ovos, pois não há vestígios de cascas. Como as extremidades dos seus ossos parecem bem desenvolvidas, provavelmente os animais eram capazes de se mover pelo ninho. 

Para os cientistas que fizeram a descoberta, o achado ajuda a lançar luz sobre a sociabilidade desses répteis. Os mais antigos ninhos de dinossauro datam de 190 milhões anos. A existência desses vestígios sugere que mesmo os primeiros dinossauros já exibiam comportamentos familiares complexos. 

"É um dos mais belos fósseis de dinossauros já encontrados", diz Brandon Hedrick, paleontólogo de vertebrados da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia (EUA), e líder do grupo de cientistas responsáveis pelo achado. 

Para os pesquisadores, o comportamento de algumas aves pode elucidar o que ocorria no ninho dos psitacossauros da região chinesa. Segundo Hedrick, é possível encontrar entre aves "crias mais crescidas ajudando os pais a cuidarem das novas ninhadas, ao invés de iniciarem suas próprias". A classe das aves é considerada pelos cientistas como herdeira dos dinossauros. 

A rocha que envolvia os fósseis encontrados na China é constituída de material vulcânico, indicando que eles foram pegos de surpresa por um lahar, material fruto de uma erupção. Assim, uma outra hipótese levantada é a de que o dinossauro adulto acabou sendo depositado junto dos pequenos pelo movimento do lahar durante a erupção. 

Os cientistas pretendem analisar a estrutura microscópica dos ossos dos animais menores para verificar se todos estavam no mesmo estágio de desenvolvimento para checar se eles de fato interagiam. 

Os cientistas detalharam suas descobertas na edição de setembro da revista Cretaceous Research. (Com a Livescience)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Tilt