Topo

Índia tentará de novo lançar sua missão para o polo sul da Lua

21/07/2019 06h47

Nova Délhi, 21 jul (EFE).- A Índia tentará na segunda-feira, pela segunda vez, lançar sua missão Chandrayaan-2, o projeto mais ambicioso da agência espacial do país até agora, que prevê explorar o desconhecido polo sul da Lua depois que uma primeira tentativa falhou há uma semana.

A segunda missão para a Lua a cargo da Organização de Pesquisa Espacial da Índia (ISRO, na sigla em inglês) será lançada com o foguete GSLV Mark III a partir da segunda plataforma de lançamento do Centro Espacial de Satish Dhawan (SDSC).

"Teste de lançamento de#GSLVMkIII-M1/#Chandrayaan 2. Missão cumprida, rendimento normal", informou hoje no Twitter a agência espacial.

O GSLV Mark III, que será usado como foguete de lançamento, tem uma taxa de sucesso de 100%, de acordo com dados da ISRO.

Uma primeira tentativa de lançamento tinha sido programado para a madrugada de segunda-feira passada, dia 15, mas por causa de um problema no sistema do veículo de lançamento a missão foi abortada quase uma hora antes da decolagem.

"O Chandrayaan 2 está pronto para levar um bilhão de sonhos à Lua, agora mais forte do que nunca! Unam-se a nós para o lançamento", anunciou a agência espacial três dias depois de abortar a primeira tentativa.

Trata-se da segunda missão de exploração lunar da Índia projetada depois que sua versão anterior, o Chandrayaan-1, foi posto na órbita lunar em novembro de 2008.

Esta missão pretende explorar o polo sul da superfície lunar e descobrir mais sobre a composição mineral do satélite e a presença de água.

Se tiver sucesso, o Chandrayaan-2 transformará a Índia no quarto país membro do grupo de países que chegaram à Lua, uma façanha conseguida anteriormente por Rússia, Estados Unidos e China, e o primeiro a pousar no polo sul do satélite.

A nação asiática conta com um dos programas espaciais mais ativos do mundo e começou a colocar satélites na órbita terrestre em 1999. EFE

Mais Tilt