PUBLICIDADE
Topo

Técnicos consertam falha no foguete que lançará nave Soyuz à ISS

13/03/2019 16h16

Baikonur (Cazaquistão), 13 mar (EFE).- Técnicos consertaram uma "falha menor" detectada no foguete portador que lançará amanhã a nave Soyuz MS-12 à Estação Espacial Internacional (ISS), informou nesta quarta-feira o cosmonauta Alexey Ovchinin.

"A Comissão Estatal escutou o relatório sobre o estado do foguete portador. Durante a revisão de terça-feira foi encontrada uma pequena deficiência que foi reparada", disse Ovchinin em entrevista coletiva pouco mais de 24 horas antes de viajar para o espaço junto com os astronautas da Nasa Nick Hague e Christina Koch.

"O foguete está completamente pronto, não há problemas", ressaltou o cosmonauta, o que também foi confirmado pela agência espacial russa, Roscosmos, ao indicar que "todos os parâmetros do foguete portador estão normais".

Segundo Ovchinin, hoje foi realizada uma nova revisão dos controles de acordo com o regulamento para garantir o funcionamento correto do foguete, do mesmo tipo do que causou no último dia 11 de outubro o fracassado lançamento da nave Soyuz MS-10.

Naquela ocasião, o cosmonauta russo e Hague deveriam viajar para a ISS, mas, a poucos minutos da decolagem, uma falha no foguete - causada por um sensor que ficou deformado durante o processo de montagem e que é fundamental na separação da primeira e da segunda fase - provocou uma ejeção automática da cápsula recuperável, que aterrissou no Cazaquistão.

Foi o primeiro acidente em 35 anos durante o lançamento de uma nave espacial tripulada Soyuz.

Segundo as agências de notícias estatais russas "TASS" e "RIA Novosti", a falha detectada no foguete portador nesta ocasião estava ligada a um dos sensores do sistema de controle, de fabricação ucraniana.

De acordo com a "RIA Novosti", os especialistas da companhia ucraniana Kommunar, junto aos seus colegas russos, resolveram o problema na base de Baikonur, no Cazaquistão, ao substituir "o dispositivo e o cabo defeituoso do sistema de controle do foguete".

Dado que os testes de controle tiveram que ser repetidos hoje, foi adiado para amanhã o tradicional rito prévio a um voo espacial russo, no qual um sacerdote ortodoxo abençoa a missão espacial em frente ao foguete portador.

Após o conserto da falha, a Comissão Estatal aprovou a tripulação da nave espacial Soyuz MS-12 que viajará nesta quinta-feira à plataforma orbital internacional.

A nave russa dará quatro voltas ao redor da Terra para se acoplar seis horas depois ao módulo Rassvet da ISS, onde aproximadamente duas horas depois serão abertas as comportas entre a Soyuz e a plataforma orbital.

Este será o terceiro voo de Ovchinin ao espaço, o segundo de Hague e o primeiro de Christina, de acordo com a Nasa.

O trio se somará na plataforma orbital aos atuais tripulantes: a americana Anne McClain, o canadense David Saint-Jacques e o russo Oleg Kononenko, que estão na plataforma orbital desde o início de dezembro.

Desta forma, novamente serão seis os ocupantes da EEI, que continuarão trabalhando em centenas de experiências em matéria de biologia, biotecnologia, física e ciências da Terra a bordo do único laboratório de microgravidade permanentemente ocupado.

Além disso, estão previstas pelo menos três caminhadas espaciais a fim de continuar atualizando e melhorando o laboratório orbital, especialmente o sistema elétrico.

Em 29 de março acontecerá um marco na história espacial, quando Anne e Christina efetuarão a primeira caminhada espacial de duas mulheres, o que a Nasa chama de EVA, pelo acrônimo em inglês de "atividade extra-veicular". EFE