PUBLICIDADE
Topo

Beethoven vive no digital: inteligência artificial completará 10ª Sinfonia

Ludwig van Beethoven deixou inacabada uma décima sinfonia - Reprodução
Ludwig van Beethoven deixou inacabada uma décima sinfonia Imagem: Reprodução

Da Deutsche Welle

08/12/2019 16h54Atualizada em 09/12/2019 14h56

Além das nove sinfonias conhecidas e há dois séculos executadas em todo o mundo, ao morrer o compositor alemão Ludwig van Beethoven (1770-1827) deixou inacabada uma décima. Compositores posteriores tentaram completá-la a partir dos fragmentos disponíveis, mas agora a tarefa foi entregue a um algoritmo de inteligência artificial.

Desde meados de 2019, uma equipe internacional de musicólogos, compositores e informáticos treina o software para compor os trechos que faltam, no estilo e espírito do grande músico nascido em Bonn, com base em seus esboços e anotações. Ideia e verba para o projeto partiram da empresa de telecomunicação Deutsche Telekom.

A estreia pela Beethoven Orchester de Bonn será em 2020, ano em que se completariam os 250 anos do nascimento do compositor. Ninguém ainda sabe como será o resultado final: "O algoritmo é imprevisível, ele nos surpreende a cada dia", explicou ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung o coordenador do projeto, Mattias Röder, diretor do Instituto Karajan. "Ele é como uma criancinha explorando o mundo de Beethoven."

Este não é o primeiro experimento em que programas de computador são encarregados de compor. Outro exemplo é a conclusão da famosa Sinfonia nº 8, Inacabada, de Franz Schubert, promovida pelo fabricante chinês de smartphones Huawei. A estreia foi em fevereiro deste ano, em Londres.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS

Inteligência artificial