Topo

Quase 25% da população mundial enfrenta estresse hídrico extremo

06/08/2019 10h46

Washington, 6 Ago 2019 (AFP) - Quase 25% da população mundial vive em 17 países que enfrentam situação de estresse hídrico extremo e se aproximam do que se chama de "dia zero", quando as torneiras secam, afirma um relatório divulgado nesta terça-feira.

O Instituto de Recursos Mundiais (WRI, na sigla em inglês) classificou o estresse hídrico, o risco de seca e o risco de inundação fluvial utilizando uma metodologia revisada por especialistas.

"A agricultura, a indústria e os municípios estão consumindo 80% das águas superficiais e subterrâneas disponíveis em um ano médio nos 17 países mais afetados", afirmou o WRI.

Catar, Israel, Líbano, Irã, Jordânia, Líbia, Kuwait, Arábia Saudita, Eritreia, Emirados Árabes Unidos, San Marino, Bahrein, Índia, Paquistão, Turcomenistão, Omã e Botsuana formam o grupo dos 17.

"O estresse hídrico é a maior crise sobre a qual ninguém fala. As consequências são visíveis na forma de insegurança alimentar, conflito, migração e instabilidade financeira", disse Andrew Steer, presidente executivo do WRI.

Outros 27 países integram a lista de "alto estresse hídrico de referência".

Oriente Médio e o norte da África têm 12 dos países mais estressados. A Índia, que aparece na posição 13, tem uma população três vezes maior que os outros 16 países.

"A recente crise da água na região de Chennai chamou a atenção mundial, mas diversas áreas da Índia sofrem um estresse hídrico crônico", afirmou Shashi Shekhar, ex-secretária para a Água da Índia.

Ela disse que o relatório pode ajudar as autoridades a identificar e priorizar os riscos.

Até os países com reduzido estresse hídrico médio podem ter pontos críticos. Os Estados Unidos aparecem na 71ª posição, mas o estado do Novo México sofre estresse hídrico.

ia/jh/mps/lda/fp

Tilt