PUBLICIDADE
Topo

Rússia vai cooperar com EUA em construção de nova estação espacial lunar

27/09/2017 14h58

Moscou, 27 Set 2017 (AFP) - A agência espacial russa, Roscosmos, anunciou nesta quarta-feira que assinou um acordo com a Nasa para cooperar no projeto americano de construção de uma estação orbital em torno da Lua, dentro do programa "Deep Space Gateway" (Portal do Espaço Profundo).

O projeto busca construir uma estação na órbita lunar que sirva como ponto de conexão entre a superfície do satélite terrestre, missões a outros planetas e a Terra. Essa estação é considerada um ponto-chave em um programa mais ambicioso de voos para Marte e para o resto do Sistema Solar.

O acordo foi assinado em Adelaide (Austrália), onde se realiza o 68º congresso internacional de astronáutica.

A Nasa anunciou há alguns meses que estava trabalhando em um projeto chamado "Deep Space Gateway" para enviar astronautas à órbita lunar graças aos novos foguetes desenvolvidos pela agência espacial americana.

A Rússia quer, por sua vez, abrir uma base científica na Lua e espera realizar seus primeiros voos lunares antes de 2031.

"Os dois sócios têm a intenção de desenvolver normas técnicas internacionais que serão utilizadas no futuro, incluindo a criação de uma estação orbital em volta da Lua. A Roscosmos e a Nasa já entraram em acordo sobre as normas da futura estação", disse a agência russa.

Os foguetes russos Angara e Proton-M poderiam ser utilizados paralelamente ao americano SLS para "criar a infraestrutura da estação lunar", segundo a Roscosmos. Esses foguetes seriam utilizados para transportar as cargas.

A agência russa indicou que a criação desta estação orbital começará em meados de 2020.

"Cinco países, no mínimo, estão trabalhando para desenvolver suas próprias naves espaciais tripuladas. Para evitar problemas em termos de cooperação técnica, as normas (e sistemas de acoplagem) devem ser unificadas" declarou Igor Komarov, diretor da agência espacial russa.

"Os elementos futuros da estação - bem como os padrões para sistemas de suporte de vida - serão criados usando designs russos", acrescentou.

A Nasa se declarou "orgulhosa de ver um interesse internacional crescente sobre o deslocamento para a órbita lunar como próxima etapa do desenvolvimento da exploração espacial", mas acrescentou que o projeto ainda está em um estado de "formulação de conceitos".

Segundo a agência, o acordo com a Roscosmos servirá de base para "uma arquitetura de exploração financeiramente acessível e viável".

O espaço é um dos poucos setores de cooperação bilateral não afetado pelas tensões entre os Estados Unidos e a Rússia.

Ambos os países cooperam na Estação Espacial Internacional (ISS), cujo módulo principal foi fabricado pela Rússia, o único país capaz de enviar astronautas ao espaço desde o fim do programa de ônibus espaciais da Nasa.

A Lua também desperta interesse na Agência Espacial Europeia. Seu diretor-geral, o alemão Jan Woerner, defende a criação de uma "aldeia lunar" desde a sua nomeação, em 2015.

tbm/gmo/sg/ra-pc/jz/mb/db/mvv