PUBLICIDADE
Topo

Eclipse lunar total será visível nas Américas esta madrugada

É o primeiro eclipse de uma série de quatro consecutivos até 2015 com intervalo de seis meses, o que os astrônomos chamam de uma tétrade - Reprodução
É o primeiro eclipse de uma série de quatro consecutivos até 2015 com intervalo de seis meses, o que os astrônomos chamam de uma tétrade Imagem: Reprodução

Em Washington

14/04/2014 17h19

Um eclipse lunar total, o primeiro desde dezembro de 2011, acontecerá na madrugada de segunda para terça-feira e será visível nas Américas do Norte e do Sul e até no Havaí, informou a Nasa.

Este será, também, o primeiro eclipse de uma série de quatro consecutivos até 2015 com intervalo de seis meses, o que os astrônomos chamam de uma tétrade.

Este fenômeno, relativamente raro, ocorreu anteriormente em 2003-2004 e a próxima tétrade está prevista para 2032-2033, informou a agência espacial americana. No total, haverá oito tétrades no século 21.

Este primeiro eclipse vai começar à 1h53 de terça-feira (hora de Brasília), quando a Lua passar pela sombra da Terra. Ele será total a partir das 4h06 e vai durar pouco mais de uma hora, com fim previsto para as 5h24. A Lua emergirá totalmente da sombra da Terra às 7h37 de Brasília.

O segundo eclipse lunar desta tétrade vai acontecer em 8 de outubro e os dois últimos, em 4 de abril e 28 de setembro de 2015, respectivamente.

Lua vai ficar 'vermelha' por cerca de 78 minutos 

Significado bíblico

Em alguns meios religiosos, a tétrade tem um significado bíblico porque coincide com festas judaicas importantes, como a Pessah (Páscoa) em 2014 e a Festa dos Tabernáculos, em outubro de 2014 e setembro de 2015.

O telescópio virtual The Slooh, uma plataforma astronômica online, disponibilizará imagens em tempo real do eclipse lunar, enquanto o site da Nasa transmitirá também os comentários dos cientistas durante o eclipse, a partir das 3h00 de terça-feira (www.nasa.gov).

Além do elipse lunar, Marte vai passar nesta segunda-feira a 92 milhões de quilômetros da Terra, a menor distância entre o planeta vermelho e o nosso desde janeiro de 2008.