Google perde tentativa de encerrar processo antitruste nos EUA

Por Jody Godoy

(Reuters) - O Google deve enfrentar um julgamento sobre a alegação das autoridades de defesa da concorrência dos Estados Unidos de que o gigante das buscas na internet domina ilegalmente o mercado de tecnologia de publicidade online, decidiu uma juíza nesta sexta-feira.

A juíza distrital dos EUA Leonie Brinkema, em Alexandria, Virgínia, negou apelação do Google durante uma audiência.

O Google defendia que as leis antitruste não impedem as empresas de se recusarem a negociar com rivais e que os reguladores não haviam definido com precisão o mercado de tecnologia de anúncios.

Os documentos do tribunal não especificaram as razões apresentadas pela juíza na audiência. Moções como a que o Google apresentou só são concedidas quando um juiz determina que não há disputa de fato para enviar a julgamento.

Brinkema deve presidir o julgamento do caso em 9 de setembro.

"Estamos ansiosos para esclarecer os fatos", disse um porta-voz do Google. Um porta-voz do Departamento de Justiça não quis comentar.

O Departamento de Justiça e uma coalizão de Estados norte-americanos processaram o Google alegando que a empresa monopoliza ilegalmente a publicidade digital e cobra a mais dos usuários. A ação judicial busca principalmente desmembrar o negócio de publicidade digital do Google para permitir maior concorrência.

Nesta sexta-feira, os reguladores dos EUA convenceram Brinkema a impedir que um ex-agente do FBI, que atuou como consultor de segurança digital para o Google, testemunhasse como especialista no julgamento.

Deixe seu comentário

Só para assinantes