Waymo faz recall de 672 carros autônomos após colisão

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - A Waymo, empresa da Alphabet, disse nesta quinta-feira que fará recall de 672 carros autônomos depois que um de seus veículos sem motorista atingiu um poste de madeira em Phoenix,  no Estado norte-americano do Arizona, em maio.

A Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário (NHTSA, na sigla em inglês) abriu uma investigação em maio após 22 relatos de táxis robôs da Waymo terem exibido um comportamento que potencialmente viola leis de segurança no trânsito ou demonstraram outro "comportamento inesperado", incluindo 17 colisões.

A Waymo disse que a colisão de maio no Arizona ocorreu em um beco durante a execução de uma manobra de parada em baixa velocidade. A empresa disse que o carro não transportava passageiros e que não havia outras pessoas na via ou registro de ferimentos relacionados à batida, mas houve danos ao veículo autônomo.

A Waymo afirmou que o recall inclui uma atualização de software para melhorar a resposta de detecção dos veículos a objetos permanentes semelhantes a postes e "atualizações e melhorias robustas de mapeamento" que já foram instaladas em todos os veículos.

A NHTSA disse que os sistemas de direção automatizada, antes das atualizações de software, "poderiam não conseguir evitar um poste ou objeto semelhante".

Essa é a mais recente de uma série de investigações da NHTSA sobre o desempenho de veículos autônomos, depois que o órgão regulador abriu investigações sobre a Cruise, da General Motors , e a Zoox, da Amazon.com.

Em fevereiro, a Waymo fez recall de 444 veículos autônomos após duas pequenas batidas em rápida sucessão no Arizona, dizendo que um erro de software poderia fazer com que os carros previssem de forma imprecisa o movimento de um veículo rebocado.

Na quarta-feira, a NHTSA disse que estava buscando detalhes sobre uma série de incidentes que geraram preocupações sobre o desempenho dos carros sem motorista da Waymo.

Continua após a publicidade

O órgão regulador disse que vários incidentes "envolveram colisões com objetos claramente visíveis que um motorista competente deveria evitar".

Os "relatórios incluem colisões com objetos estacionários e semi-estacionários, como portões e correntes, colisões com veículos estacionados e casos em que o (sistema de direção automatizada) pareceu desobedecer aos controles de segurança do tráfego", disse.

A agência disse que a Waymo deveria responder a perguntas detalhadas até 6 de agosto e que o órgão regulador quer saber se algum dos veículos estava impedido de circular e se há algum teste ou atualização para tratar de incidentes específicos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes