PUBLICIDADE
Topo

Agência de aviação dos EUA diz que voos ainda enfrentam riscos com serviços 5G

David Shepardson

Em Washington

07/01/2022 13h41

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) emitiu novos avisos de que o serviço 5G ainda pode interromper voos, dizendo que há "grandes diferenças" entre as proteções da aviação dos Estados Unidos e as usadas na França.

A FAA lançou um site dedicado ao 5G e à segurança da aviação, levantando questões sobre o impacto potencial em componentes eletrônicos sensíveis de aviões, como altímetros.

A FAA disse que as zonas tampão do aeroporto 5G na França cobrem "96 segundos de voo", enquanto as precauções de segurança em torno dos aeroportos norte-americanos "protegem apenas os últimos 20 segundos de voo."

A federação disse que os níveis de energia mais baixos temporários dos Estados Unidos serão 2,5 vezes maiores do que os da França e observou que o país europeu exige que as antenas sejam inclinadas para limitar a interferência prejudicial, uma regra que falta aos Estados Unidos.

"Se houver possibilidade de risco para o público que voa, seremos obrigados a pausar a atividade até que possamos provar que é seguro", disse o site da FAA.

"Os altímetros de radar ainda devem ser comprovados como seguros no ambiente 5G geral dos Estados Unidos para voar até esses aeroportos. Portanto, devemos levar em consideração a maior intensidade do sinal ao avaliar a segurança e o risco."

AT&T e Verizon venceram quase todo o espectro da banda C em um leilão de 80 bilhões de dólares em 2021. Em novembro, a FAA avisou que pode ser necessária uma ação para lidar com possível interferência do 5G, o que levou ao adiamento da implantação.

O site da FAA disse que 50 aeroportos estão cobertos porque as "empresas de telefonia móvel só concordaram com 50 aeroportos". AT&T e Verizon não comentaram imediatamente.

A FAA disse que mesmo assim a implantação de 5G aumentará o risco de interrupção durante baixa visibilidade, causando cancelamentos de voos, desvios e atrasos. Disse ainda que está trabalhando para concluir avaliações dos altímetros, permitindo que algumas aeronaves operem em 5G e minimizar interrupções.