PUBLICIDADE
Topo

PayPal diz que 'compre agora, pague depois' subiu 400% na Black Friday

03/12/2021 14h00

Por Rachel Armstrong

LONDRES (Reuters) - Os volumes da plataforma 'compre agora, pague depois' (BNPL, da sigla em inglês) do PayPal foram cinco vezes maiores na Black Friday deste ano do que no mesmo período de 2020, disse o presidente-executivo da empresa na conferência Reuters NEXT nesta sexta-feira.

O PayPal lançou sua plataforma BNPL, um crescente e cada vez mais competitivo nicho de crédito, em agosto do ano passado.

Os serviços BNPL, que permitem que consumidores parcelem as suas compras sem cartão de crédito, explodiram na pandemia com o crescimento do comércio eletrônico. Mas o modelo têm atraído a atenção de reguladores, diante da preocupação de que isso levará a um maior endividamento, especialmente entre os mais jovens.

"Vimos um aumento anual de 400% em nossos volumes de BNPL na última Black Friday", disse Dan Schulman, presidente do PayPal. Ele disse que mais de 9 milhões de pessoas já usaram o serviço.

"Tivemos mais de 1 milhão de usuários pela primeira vez em novembro", afirmou.

Uma pesquisa mostrou em setembro que um terço dos consumidores americanos que usaram os serviços BNPL atrasaram uma ou mais parcelas.

Segundo Schulman, a escala da base de clientes do PayPal permite que eles possam oferecer o serviço com responsabilidade.

"Temos mais de 400 milhões de pessoas em nossa plataforma. Conhecemos os consumidores e os comerciantes e sabemos quando alguém pode tomar emprestado com responsabilidade", disse ele.

"Temos um dos maiores índices de aprovação e um dos menores índices de inadimplência do setor", acrescentou.

Schulman não quis comentar sobre o interesse do PayPal no Pinterest após notícias de que a empresa de pagamentos havia considerado comprar a plataforma de mídia social por 45 bilhões de dólares, no que seria um dos maiores negócios de tecnologia da história.

Mas ele disse que, com 20 bilhões de dólares em equivalente de caixa, a companhia está aberta a grandes e pequenos negócios.

"Quando penso em fusões e aquisições ou na estratégia do PayPal, tento pensar de maneira ampla sobre para onde o mundo está indo", disse.

Ele afirmou ainda que empresas de interesse da companhia seriam as nas áreas de interconexão de pagamentos, serviços financeiros ao consumidor e ferramentas de compras.