PUBLICIDADE
Topo

Apple pagará até US$ 500 mi em processo nos EUA por lentidão de iPhones após atualizações

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Jonathan Stempel

02/03/2020 14h12

A Apple aceitou pagar até US$ 500 milhões (cerca de R$ 2,24 bilhões) para resolver casos em que é acusada, nos Estados Unidos, de tornar modelos antigos de iPhones mais lentos ao lançar novas versões, para induzir os proprietários a comprar novos dispositivos ou baterias de reposição.

O acordo preliminar proposto na ação coletiva foi divulgado na sexta-feira e requer aval de um juiz distrital da Califórnia.

Ele pede que a Apple pague aos consumidores US$ 25 por iPhone, com o valor podendo ser ajustado dependendo de quantos iPhones são elegíveis, com um pagamento total mínimo de US$ 310 milhões.

A Apple negou irregularidades e aceitou o acordo em todo o país para evitar os encargos e custos dos processos, mostram documentos judiciais.

A empresa não respondeu imediatamente a pedidos de comentários.

O acordo abrange os donos de iPhone 6, 6 Plus, 6s, 6s Plus, 7, 7Plus ou SE que executaram o sistema operacional iOS 10.2.1 ou posterior. Abrange também os donos nos EUA do iPhone 7 e 7 Plus que executaram o iOS 11.2 ou posterior antes de 21 de dezembro de 2017.

Consumidores alegaram que o desempenho de seus telefones piorou após a instalação das atualizações do software da Apple. Eles disseram que isso os levou a acreditar que seus telefones estavam perto do fim de seu ciclo de vida, exigindo substituição ou baterias novas.

A Apple atribuiu os problemas principalmente a mudanças de temperatura, uso excessivo e outros problemas, e disse que seus engenheiros trabalharam com rapidez para resolvê-los.

Após um protesto inicial, a Apple se desculpou e reduziu o preço da substituição de baterias para US$ 29 ante US$ 79 anteriormente.

SIGA TILT NAS REDES SOCIAIS