PUBLICIDADE
Topo

TIM vê avanço em leilão 5G somente após consolidação de mercado

12/02/2020 13h23

SÃO PAULO (Reuters) - A TIM Participações espera que o leilão de 5G no país avance apenas quando a consolidação do mercado acelerar nos próximos meses, afirmou o diretor presidente, Pietro Labriola, nesta quarta-feira, acrescentando que a empresa está pronta para fazer aquisições.

"É difícil definir regras para o leilão 5G uma vez que a consolidação do mercado ainda não está definida e vemos um player como gatilho para acelerar todo esse processo", disse Labriola em teleconferência sobre resultados trimestrais.

Na semana passada, a Anatel abriu consulta pública sobre a disponibilidade de espectro para a nova tecnologia, que pode marcar o maior leilão de frequências do mundo para 5G. Ainda assim, as regras sobre preço mínimo e outras obrigações ainda não foram definidas.

Ele disse, no entanto, que a terceira maior operadora de telefonia móvel do Brasil ainda não espera aumento substancial nas despesas de capital provenientes do 5G em 2020.    Mais detalhes sobre o capex serão divulgados em 11 de março, quando a controladora Telecom Italia SpA deve divulgar seu plano estratégico de negócios.

Os comentários surgem pouco mais de um mês após a rival Oi, que está em recuperação judicial, admitir a contratação de consultores financeiros para avaliar sua unidade móvel, um ativo há muito desejado por suas concorrentes.

Segundo ele, a TIM melhorou sua posição financeira nos últimos três anos para se preparar para consolidação do mercado no Brasil. "Vemos a competitividade do mercado de forma mais positiva desde o início da consolidação com a aquisição da Nextel pela Claro", acrescentou.    

Labriola também disse estar confiante que a TIM pode elevar ainda mais seus resultados sequenciais, com base nos primeiros sinais de melhoria observados em janeiro. "A digitalização é um processo ainda não concluído e provavelmente nos ajudará a melhorar nosso Ebitda em 2020 e 2021", disse ele, citando as provisões para inadimplência como outra preocupação.    

No quarto trimestre, a TIM teve lucro líquido de 756 milhões de reais, superando a estimativa média de analistas de 599,4 milhões de reais, segundo a Refinitiv.     

Em relatório, analistas do UBS destacaram as fortes margens da TIM no período, apesar de leve decepção na receita de serviços. O BTG Pactual, por sua vez, disse que as ações têm um bom preço nos níveis atuais, citando potencial de alta se houver uma possível aquisição da unidade móvel da Oi.    

Às 13:02 (horário de Brasília, a ação da TIM subia 4%, entre os melhores desempenhos Ibovespa, que subiu 0,45%.

(Reportagem de Gabriela Mello)

Tilt