Topo

Oi pode agrupar ações se preço seguir abaixo de R$1

22/11/2019 19h05

SÃO PAULO (Reuters) - A Oi informou nesta sexta-feira que pretende propor ao conselho de administração a inclusão de plano de grupamento de ações na pauta de assembleia de acionistas de abril do próximo ano se o preço do papel não ficar acima de 1 real de forma consistente.

A empresa, que está em recuperação judicial desde 2016, foi notificada pela B3, que pediu à Oi para divulgar procedimentos e cronograma que serão adotados para enquadrar a cotação das ações até 7 de maio de 2020 ou até a data da primeira assembleia geral a partir do recebimento da notificação.

A Oi afirmou em comunicado que "caso a cotação das ações não se enquadre de forma consistente em um patamar acima de R$1,00, após a implementação das próximas etapas previstas no plano estratégico já divulgado ao mercado, pretende propor ao conselho de administração que, por ocasião da realização da assembleia geral ordinária, a ser realizada em abril de 2020, seja incluído item na ordem do dia para tratar do grupamento de suas ações".

A ação ordinária da Oi encerrou nesta sexta-feira cotada a 0,97 real, em baixa de 3%. Já a ação preferencial fechou a 1,32, em alta de 1,54%, mas com baixo volume. O Ibovespa teve valorização de 1,1%

Tilt