Topo

Google acaba com conselho que queria levar ética à inteligência artificial

Manas Mishra e Akshay Balan

De Bangalore (Índia)

05/04/2019 10h09

O Google, da Alphabet, anunciou na quinta-feira a dissolução de um conselho que tinha formado uma semana antes para considerar as questões éticas em torno de inteligência artificial e outras tecnologias emergentes.

O conselho encontrou controvérsias sobre dois de seus membros, de acordo com o portal de notícias online Vox, que relatou a dissolução pela primeira vez.

O conselho, iniciado em 26 de março, deveria fornecer recomendações para o Google e outras empresas e pesquisadores que trabalham em áreas como o software de reconhecimento facial, uma forma de automação que provocou preocupações sobre preconceito racial e outras limitações.

O Conselho Consultivo Externo de Tecnologia Avançada de oito membros (ATEAC) incluiu especialistas em tecnologia e em ética digital.

"Ficou claro que no ambiente atual, a ATEAC não pode funcionar como queríamos. Então, estamos dissolvendo o conselho e voltando à fase anterior", disse um representante do Google em um comunicado enviado por email.

A matéria da Vox informou que funcionários do Google assinaram uma petição pedindo a remoção de um dos membros por comentários sobre pessoas transexuais, e acrescentou que a inclusão de um executivo de uma empresa de drones levantou o debate sobre o uso da AI do Google para aplicações militares.

Mais Inteligência artificial