Do túnel do tempo: técnica revela rostos 'perdidos' em fotos do século 19

Uma nova técnica desenvolvida por cientistas da Western University, no Canadá, restaura fotos dos anos 1800 — e também pode ser usada em fósseis e outros artefatos históricos.

O que aconteceu

Pesquisadores desenvolveram uma nova técnica para recuperar fotografias antigas e muito danificadas. O estudo foi publicado no periódico acadêmico Journal of Cultural Heritage.

A técnica usa radiação síncrotron. Esse tipo de radiação eletromagnética, que se estende por um amplo espectro, foi usada para recuperar imagens de daguerreótipos manchados do século 19.

O daguerreótipo é um equipamento capaz de produzir uma imagem fotográfica sem negativo. O processo foi a primeira forma de fotografia comercialmente viável e foi inventado na França por Joseph Nicéphore Niépce e Louis-Jacques-Mandé Daguerre.

Uma foto de daguerreótipo é composta de partículas de prata-mercúrio-ouro ou de amálgama de prata-mercúrio sobre uma placa de cobre revestida de prata. Os tons de cinza, característicos dessas imagens, são produzidos pela reflexão da luz dessas partículas. No entanto, as imagens produzidas desta forma estão sujeitas à formação de manchas superficiais devido à corrosão que, em casos extremos, pode danificar completamente a foto.

Atualmente, já existem duas técnicas gerais de limpeza de imagens de daguerreótipos: química e elétrica. Estudos antigos já provaram que ambos os métodos podem ajudar a restaurar a imagem do daguerreótipo apenas até certo ponto. Este estudo, inclusive, segue outra pesquisa feita em 2018 e publicada na Scientific Reports.

Com essa nova técnica, porém, é possível determinar se um metal pode ser resistente à corrosão ou de qual maneira ele foi corroído. Segundo o estudo, a aplicação dela é possível porque o raio X síncrotron é ajustável, o que significa que ele pode identificar qualquer elemento e descobrir onde ele está colocado na amostra, e até mesmo obter imagens camada por camada.

Pesquisadores da Western University desenvolveram técnica para recuperar fotografias antigas
Pesquisadores da Western University desenvolveram técnica para recuperar fotografias antigas Imagem: Reprodução / Universidade de Western Ontario

As placas de daguerreótipo do século 19 usadas no estudo foram fornecidas pela Galeria Nacional do Canadá, em Ottawa, ou compradas de colecionadores particulares. Todas elas estavam parcialmente manchadas.

Continua após a publicidade

"Revelar imagens que pareciam perdidas para sempre é o mais emocionante", disse o professor de química Tsun-Kong Sham, um dos responsáveis pelo estudo, em comunicado. "Temos um vislumbre das pessoas que viveram no século 19 que não teríamos de outra forma e aprendemos sobre sua história e cultura", completou.

No entanto, a descoberta também mostrou que os mesmos raios X que podem ajudar os pesquisadores a "ver" através da corrosão na superfície dos daguerreótipos também podem — indiretamente — causar danos às imagens. "Normalmente, os raios X não danificam os metais visivelmente, por isso não achei que afetariam as placas, mas talvez as impurezas químicas ou a própria corrosão no daguerreótipo tenham sido aquecidas e deixado uma pequena marca por onde a luz do feixe de raios X passou", explicou Sham.

Desta forma, o estudo concluiu que as imagens de daguerreótipos manchados sempre podem ser recuperadas, desde que a maior parte das partículas delas permaneça intacta.

A pesquisa também é relevante para a conservação de antiguidades, especialmente para o estudo de artefatos ou fósseis que apresentam deterioração superficial. A nova técnica também poderá ser usada para prevenir a corrosão em materiais modernos, além de estudar outros itens históricos.

Deixe seu comentário

Só para assinantes