PUBLICIDADE
Topo

Colombiana faz sucesso por dizer dominar idioma extraterrestre: 'Conexão'

Mafe Walker diz que emana uma frequência intergaláctica através das cordas vocais - Reprodução / Venga la alegría
Mafe Walker diz que emana uma frequência intergaláctica através das cordas vocais Imagem: Reprodução / Venga la alegría

Colaboração para Tilt

25/06/2022 04h00

A colombiana Mafe Walker fez sucesso nas redes sociais após dizer que seria capaz de se comunicar com alienígenas. Seus vídeos no TikTok, em que aparece falando um suposto idioma extraterrestre, chegaram a mais de 13 milhões de visualizações.

Atualmente, ela vive no México, onde oferece cursos sobre frequência e vibração solar na cidade histórica de Teotihuacan, na floresta de Chapultepec e nas pirâmides de Cholula.

Em entrevista ao programa Venga la alegría, da TV Azteca, a colombiana explicou que os sons estranhos e aparentemente desconexos que ela emite são, na verdade, "forças vibracionais de outras dimensões, códigos sonoros galácticos."

De acordo com a colombiana, ela emana uma frequência intergaláctica através das cordas vocais.

Mafe afirma ter desenvolvido seus dons através de um curso oferecido pela médium Agathe Sabine, que também estava presente no Venga la alegría.

"Através de Agathe, eu me lembrei de todos os meus dons psíquicos, todas as memórias que carregamos no DNA de outras galáxias, constelações, estrelas, outros planetas, e meu corpo, todos os meus dados, começaram a se ativar", disse Mafe.

Durante a entrevista, Agathe comentou que "o México é muito especial", já que as pirâmides "estão conectadas com outras constelações". A médium afirmou que a mulher possui o dom especial de se comunicar com os alienígenas e aprendeu a desenvolvê-lo em quatro semanas.

Mafe cobra 1.400 pesos mexicanos (equivalente a R$ 365) pelos cursos que ministra. "Sou uma conexão entre as dimensões galácticas e os planos superiores e a Terra", justifica.

Importante reforçar que não há qualquer evidência científica nas supostas habilidades de Walker. Nenhuma das grandes instituições científicas dedicadas à astronomia e à detecção de vida alienígena sequer encontrou evidências irrefutáveis de alguma espécie capaz de se comunicar, muito menos foi capaz de entender e retribuir essa forma de comunicação.

Também não há qualquer registro científico de "forças vibracionais vindas de outra dimensão", "memórias carregadas no DNA" ou algum tipo de conexão entre as pirâmides mexicanas e as estrelas — exceto o posicionamento físico de algumas delas em relação a certas constelações.