PUBLICIDADE
Topo

Alguém lê os termos de uso? Meta quer resolver isso com vídeos e exemplos

Getty Images
Imagem: Getty Images

Guilherme Tagiaroli

De Tilt, em São Paulo

26/05/2022 10h00Atualizada em 26/05/2022 10h54

Você já parou para ler os termos de uso de algum serviço? Muitos são cheios de "juridiquês" e difíceis de entender. Após ouvir sugestões de especialistas, a Meta (empresa dona do Facebook, Instagram e WhatsApp) decidiu reformular esse documento de suas plataformas oferecendo exemplos e vídeos para torná-los mais compreensível para um público maior.

Quem tem conta no Instagram e no Facebook deve receber uma notificação e um email explicando as mudanças a partir desta quinta-feira (26). No momento, a nova política será traduzida para 60 idiomas (incluindo o português brasileiro) e, posteriormente, deve ser disponibilizado para outras línguas.

O que é exatamente um termo de uso?

De forma resumida, os termos de uso são contratos entre empresas e pessoas. Neles, são explicadas as regras de uso da rede social, além de direitos, deveres e responsabilidades.

"Termos de uso complexos são o padrão da indústria, e reguladores têm solicitado para que as empresas sejam mais claras e transparentes com os consumidores", disse Rob Sherman, diretor de políticas públicas da Meta, em conversa com jornalistas.

Novo centro de privacidade da Meta (em inglês) tem imagens para facilitar compreensão - Reprodução - Reprodução
Novo centro de privacidade da Meta (em inglês) tem imagens para facilitar compreensão
Imagem: Reprodução

"Reescrevemos nossos termos para que pessoas do primário consigam entender —antes era uma linguagem acadêmica. Também incluímos desenhos e vídeos, além de links para ações", explicou.

Como são os vídeos

Em apresentação dos novos recursos para jornalistas, a Meta mostrou, por exemplo, um vídeo educacional que ensina a ocultar propagandas que "perseguem" as pessoas, mesmo após o produto ter sido adquirido — para quem não sabe, basta tocar/clicar nos três pontinhos próximo ao anúncio, e escolher a opção "Ocultar anúncio".

Na área que diz "o que coletamos, e o que você pode fazer", tem uma animação em vídeo curta (de 1m43s), explicando que a empresa obtém dados de atividades, como uma curtida em um post, conexões com amigos e terceiros, como "parceiros de negócios que compartilham experiências de clientes".

Na mesma área, há um link para que as pessoas acessem as informações que elas compartilham com a Meta.

Trecho de animação da Meta mostra pessoa curtindo foto no Instagram; novos termos de uso contam com vídeo animado explicando como coletam informações -- uma delas é pelas atividades de outros produtos da Meta, como o Instagram - Reprodução - Reprodução
Trecho de animação da Meta mostra pessoa curtindo foto no Instagram; novos termos de uso contam com vídeo animado explicando como coletam informações -- uma delas é pelas atividades de outros produtos da Meta, como o Instagram
Imagem: Reprodução

No documento, a Meta também detalha como ganha dinheiro e por que o aplicativo é gratuito.

"[Ao usar os produtos da Meta] você concorda que podemos lhe mostrar anúncios personalizados que empresas e organizações nos pagam para promover dentro e fora dos Produtos da Meta", diz a empresa. "Usamos seus dados pessoais, como informações sobre suas atividades e interesses, para lhe mostrar anúncios personalizados que possam ser mais relevantes para você".

"Usamos seus dados pessoais, como informações sobre suas atividades e interesses, para lhe mostrar anúncios personalizados que possam ser mais relevantes para você", acrescenta.

Segundo a Meta, a mudança é apenas na forma de apresentação, e as alterações não exigem novas permissões das pessoas ou novas formas de coleta de dados por parte da empresa.

Não é a mudança dos termos de uso que vai fazer todos se interessarem pelo assunto. Porém, só o fato de ser mais ilustrativo, já deve facilitar bastante a vida de quem quer entender melhor como as redes sociais utilizam dados das pessoas, e como os usuários podem controlar alguns dados obtidos pelas empresas.