PUBLICIDADE
Topo

Redmi Note 11 Pro x Moto G200: qual modelo com 5G vale mais o investimento?

Redmi Note 11 Pro (esq.) x Moto G200 (dir.) - Reprodução/Tilt
Redmi Note 11 Pro (esq.) x Moto G200 (dir.) Imagem: Reprodução/Tilt

Rodrigo Lara

Colaboração para Tilt, em São Paulo

03/05/2022 04h00Atualizada em 03/05/2022 12h56

A variedade de celulares dentro da categoria de intermediários é extensa. A ideia é oferecer um combo de smartphone com boas telas (geralmente, grandes), especificações competentes e preço mais atrativo do que os cobrados nos top de linha. No comparativo de hoje separamos dois aparelhos que atendem a esses requisitos: Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G e o Moto G200 5G.

O primeiro é um lançamento recente da fabricante chinesa. O modelo chegou ao Brasil em abril. O segundo é um pouco mais antigo, de dezembro de 2021, mas ainda é um dos destaques da Motorola para a categoria no Brasil. Ambos são compatíveis com redes 5G e ficam abaixo dos R$ 4.000. Confira a seguir a comparação dos modelos com base em suas respectivas fichas técnicas.

Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G

  • Altura: 164,2 mm
  • Largura: 76,1 mm
  • Espessura: 8,1 mm
  • Peso: 202 g

Motorola Moto G200 5G

  • Altura: 168,1 mm
  • Largura: 75,5 mm
  • Espessura: 8,9 mm
  • Peso: 202 g

Vamos começar por um dado curioso: é relativamente raro dois aparelhos de tamanhos diferentes empatarem no peso, mas é isso o que acontece aqui.

Os pouco mais de 200 g não fazem deles celulares pesos-pesados, mas se a ideia é ter um aparelho que você carregue no bolso praticamente sem perceber, nenhum dos dois vai cumprir essa função. Eles não são levíssimos e muito menos pequenos.

A real vantagem do Redmi Note 11 Pro 5G neste caso é o material com que ele é feito. Sua traseira é recoberta de vidro, solução comum usada nos aparelhos mais caros. Nela, se destaca o nicho nada discreto retangular com cantos arredondados para abrigar as câmeras principais.

O Motorola, por sua vez, usa plástico nessa região, o que é um material mais simples. Ao mesmo tempo, o aparelho conseguiu uma solução ligeiramente mais discreta para as câmeras em comparação com o concorrente.

Além de um acabamento mais "premium", o Xiaomi tem outra vantagem: certificação IP53 de proteção contra respingos de água. Não significa que você possa mergulhar o aparelho, mas pelo menos é algo. O Moto G200 5G não conta com uma proteção do tipo.

VEREDITO: vitória do Redmi Note 11 Pro 5G por usar vidro na traseira e ser resistente a respingos de água.

Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G

  • Super Amoled de 6,67 polegadas (16,9 cm)
  • Resolução Full HD+ de 1.080 x 2.400 pixels
  • Taxa de atualização: 120 Hz

Motorola Moto G200 5G

  • IPS LCD de 6,8 polegadas (17,2 cm)
  • Resolução Full HD+ de 1.080 x 2.460 pixels
  • Taxa de atualização: 144 Hz

Os dois têm telas competentes, mas o Xiaomi usa um painel Super Amoled, que tende a oferecer um desempenho superior em brilho e contraste em relação ao IPS do Motorola.

O Moto G200 5G contra-ataca no tamanho, levemente maior do que o do Xiaomi, mas principalmente ao oferecer uma taxa de atualização (a quantidade de vezes que a tela atualiza por segundo) digna de modelos mais caros: 144 Hz.

Não que a do Xiaomi seja ruim, mas essa característica faz do Motorola um aparelho mais interessante para assistir a vídeos e jogar.

VEREDITO: vitória do Moto G200 5G.

Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G

  • Capacidade: 5.000 mAh

Motorola Moto G200 5G

  • Capacidade: 5.000 mAh

Baterias de 5.000 mAh viraram um padrão nesse segmento e os dois seguem a tendência. Geralmente, essa capacidade é suficiente para que eles passem com tranquilidade mais de um dia longe da tomada.

A dupla traz carregador na caixa, algo que merece elogios nos dias de hoje. Mas, aqui, a Xiaomi voa: o carregador padrão do Redmi Note 11 Pro 5G é um modelo de 67 W, capaz de encher totalmente a bateria do modelo em 42 minutos.

O Motorola não fica atrás, com seu carregador rápido de 33 W também oferecendo um alto desempenho. Mas, nesse caso, quanto mais potente for o carregador, melhor.

VEREDITO: vitória do Redmi Note 11 Pro 5G por trazer um carregador mais potente de fábrica.

Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G

  • Traseira: grande angular de 108 MP, ultra-angular de 8 MP e macro de 2 MP
  • Frontal: grande angular de 16 MP

Motorola Moto G200 5G

  • Traseira: grande angular de 108 MP, ultra-angular de 13 MP e sensor de profundidade de 2 MP
  • Frontal: grande angular de 16 MP

Principal

Se você olhar rapidamente a ficha técnica, vai achar que ambos oferecem câmera tripla na traseira para fazer fotos, o que não é verdade. O Motorola tem apenas duas lentes destinadas à captação literal de imagem. O terceiro é um sensor de profundidade, que tende a ajudar em fotos com fundo desfocado. Ele não trabalha sozinho.

O Xiaomi, por sua vez, traz uma versatilidade adicional se a ideia é tirar fotos de perto, já que ele tem uma lente macro que é destinada a esse propósito.

São duas abordagens distintas, mas que tentam impressionar compradores com o elevado número de megapixels de sua lente principal.

VEREDITO: empate. Os dois tendem a ser competentes na função de tirar boas fotos para a maioria das pessoas. Mas nada que chegue a experiência dos modelos top de linha, mais avançados, se você fizer um uso mais profissional da câmera do celular.

Frontal

As especificações são idênticas nesse quesito e, sem um teste comparativo, fica difícil apontar qual seria o melhor. De qualquer maneira, a quantidade de megapixels é interessante pensando nos modelos concorrentes.

VEREDITO: empate.

Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G

  • Processador: Qualcomm SM6375 Snapdragon 695 5G (2,2 GHz, octa-core)
  • Memória RAM: 6 GB
  • Armazenamento: 128 GB (expansível com cartão microSD)

Motorola Moto G200 5G

  • Processador: Qualcomm SM8350 Snapdragon 888+ 5G (2,99 GHz, octa-core)
  • Memória RAM: 8 GB
  • Armazenamento: 256 GB

Esse é o quesito no qual os aparelhos mais se distanciam — e, pelo qual, é possível que a aptidão dos dois tende a ser diferente.

Sem meias-palavras, o Moto G200 5G é um celular com conjunto de processador, memória RAM e armazenamento digno de topo de linha. Quem usava um processador do tipo era a linha Samsung Galaxy S21, para você ter uma ideia.

Isso, aliado aos 8 GB de RAM (que ajuda no desempenho) e a um display com atualização de 144 Hz faz do modelo da Motorola uma bela máquina para rodar games e apps mais pesados —ou, simplesmente, para um uso comum sem engasgos.

É um nível bem diferente de desempenho bem distinto do Snapdragon 695 5G usado pelo Redmi Note 11 Pro 5G, que se assemelha mais ao visto em aparelhos intermediários. É cumpridor com tarefas corriqueiras, mas não tende a ser a melhor escolha se você deseja jogar games mais pesados.

VEREDITO: vitória do Moto G200 5G.

O desbloqueio de teka pode ser feito por sensor biométrico na lateral, solução que tem lá seus fãs.

O Moto G200 5G, porém, traz um fone de ouvido com adaptador USB-C na caixa, algo útil, além do sistema Ready For, uma interface específica para quando o aparelho é espelhado em outras telas.

Por outro lado, o Redmi Note 11 Pro 5G traz a possibilidade de usar dois chips SIM ou um um chip do tipo e um cartão microSD para expandir a memória. No final das contas, os dois aparelhos são equivalentes nesse quesito.

VEREDITO: empate.

  • Xiaomi Redmi Note 11 Pro 5G: R$ 1.860

  • Motorola Moto G200 5G: R$ 3.399

Se você se interessou pelos aparelhos, aqui há um ponto no qual o Motorola manteve uma vantagem inegável por muitas semanas: um menor preço. A diferença chegou a mais de R$ 500.

Contudo, nesta terça-feira (3) foi possível encontrar o Redmi Note 11 Pro por um valor muito inferior ao do concorrente, por menos de R$ 2.000. E isso muda o nosso veredito. Quem vence a disputa de custo-benefício e melhor conjunto em um celular é o aparelho da Xiaomi.

Agora, se você gostar muito da marca Motorola, saiba que é possível que o preço do smartphone G200 caia um pouco mais. Vale ficar de olho.

RESULTADO FINAL: vitória do Redmi Note 11 Pro.

O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.

Errata: o texto foi atualizado
Em uma versão anterior da imagem de representação do texto, o celular Moto G100 era retratado, quando o correto era o Moto G200. Foto já foi substituída com os smartphones corretos citados no texto.