PUBLICIDADE
Topo

Se você usar estes hashis elétricos, não precisará de tanto sal na comida

Funcionário usa hashis que prometem melhorar sabor da comida usando estimulação elétrica - Issei Kato/Reuters
Funcionário usa hashis que prometem melhorar sabor da comida usando estimulação elétrica Imagem: Issei Kato/Reuters

Nicole D'Almeida

Colaboração para Tilt*, de São Paulo

20/04/2022 14h01

Pesquisadores japoneses desenvolveram hashis (palitinhos usados como talher por orientais) que amplificam artificialmente o sabor do sal. O objetivo é reduzir os níveis de sódio em pratos populares do país.

Criados pelo professor Homei Miyashita da Universidade Meiji e pela fabricante de bebidas Kirin Holdings Co., os pauzinhos funcionam com uma corrente elétrica fraca e um minicomputador usado em uma pulseira.

A corrente elétrica transmite íons de sódio dos alimentos, para a boca fazendo com que pareçam mais salgados mesmo contendo menos sódio.

Funcionário usa hashis que prometem melhorar sabor da comida usando estimulação elétrica - Issei Kato/Reuters - Issei Kato/Reuters
Funcionário da Kirin demonstra uso de hashis com estimulação elétrica
Imagem: Issei Kato/Reuters

Essa premissa foi confirmada, segundo os pesquisadores, durante os testes com pessoas que seguem uma dieta com baixo teor de sódio. Elas afirmaram que o dispositivo realmente aumenta o sabor salgado dos alimentos. De acordo com Miyashita, o sabor salgado aumenta em 150%.

A equipe de pesquisadores está refinando o dispositivo e pretende disponibilizar os pauzinhos elétricos aos consumidores no próximo ano.

Riscos do excesso de sal

A culinária japonesa é rica em ingredientes como missô e molho de soja, e, consequentemente rica em sódio. Um adulto japonês médio consome cerca de 10 gramas de sal por dia, o dobro da quantidade recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

"Para prevenir doenças graves relacionadas ao estilo de vida ou para prevenir essas doenças, precisamos reduzir a quantidade de sal que ingerimos regularmente", explica Ai Sato, pesquisador da Kirin.

"Se tentarmos evitar consumir menos sal de maneira convencional, precisaríamos suportar a dor de cortar nossa comida favorita de nossa dieta ou suportar comer comida sem graça", completa Sato.

A invenção chega para reduzir esse consumo exagerado, evitando doenças relacionadas ao sódio, como a pressão alta, sem precisar alterar a dieta tradicional japonesa.

*Com informações da Reuters e do jornal britânico Guardian