PUBLICIDADE
Topo

Quais os maiores astros do Universo?

Aqui aparece o aglomerado de galáxias Abell 2744. Os aglomerados são os maiores objetos do Universo mantidos juntos pela gravidade e contêm enormes quantidades de gás superaquecido (com temperaturas de dezenas de milhões de graus), que brilham intensamente nos raios-X - Divulgação/Nasa
Aqui aparece o aglomerado de galáxias Abell 2744. Os aglomerados são os maiores objetos do Universo mantidos juntos pela gravidade e contêm enormes quantidades de gás superaquecido (com temperaturas de dezenas de milhões de graus), que brilham intensamente nos raios-X Imagem: Divulgação/Nasa

De Tilt, em São Paulo

23/03/2022 04h00

Os superaglomerados de galáxias podem ser considerados as maiores estruturas do espaço.

As galáxias são conjuntos de estrelas, poeira cósmica e matéria escura. Reunidas, formam aglomerados, que têm ligações entre si, constituindo, assim, superaglomerados.Os astrônomos acreditavam que os aglomerados de galáxias eram as maiores estruturas, mas na década de 1950 o astrônomo Gérard de Vaucouleurs percebeu que alguns desses aglomerados não estão isolados uns dos outros. Eram superaglomerados.

Essas estruturas de galáxias são medidas em milhões de anos-luz —um ano-luz é a distância percorrida pela luz no período de um ano do nosso calendário. Consiste em cerca de 10 trilhões de quilômetros.

Alguns dos principais superaglomerados são o de Virgem, que contém a Via Láctea, o de Peixes-Baleia e o de Ursa Maior.

O superaglomerado Cordão Linear Perseus-Peixes atinge a ordem de 1 bilhão de anos-luz.

Não há um ponto específico no Universo em que existam muito mais galáxias do que em outros. A distribuição no espaço é relativamente homogênea.

Nas fotografias do céu usadas no estudo dos astrônomos, as estrelas, da própria Via Láctea, aparecem como pequenos pontos. Já as galáxias formam manchas maiores, em forma de elipse ou de espiral.

Estima-se que existam mais de 100 bilhões de galáxias no Universo observável. Boa parte delas não foi ainda catalogada.

As primeiras a serem notadas foram as mais brilhantes, como a galáxia de Andrômeda. Isso não quer dizer que sejam as maiores, são apenas as mais brilhantes.

Ainda não sabemos exatamente como as galáxias se formam, mas sabemos que elas são quase tão antigas quanto o próprio Universo.

As primeiras devem ter se formado quando o Universo era muito jovem, apenas 500 milhões de anos após o Big Bang.

Fontes: Sandra dos Anjos e Rubens Machado, professores do Departamento de Astronomia do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP (IAG/USP).