PUBLICIDADE
Topo

Seu signo não mudou; o que mudou foi a maneira como vemos as estrelas

shutterstock
Imagem: shutterstock

De Tilt, em São Paulo

23/01/2022 04h00

A atração gravitacional entre a Terra, Lua e Sol teria alterado o alinhamento das estrelas? Os signos do zodíaco teriam sido "empurrados" em um mês? Aficionados em horóscopos costumam ter essa dúvida. Nesse cenário, uma pessoa que faz aniversário dia 1º de outubro, por exemplo, seria de Virgem e não Libra.

Essa informação é de 2011 e foi tirada de uma entrevista dada por um grupo de astrônomos que formavam o Minnesota Planetarium Society à revista "Time" —o grupo encerrou suas atividades em 2011 e o planetário foi incorporado ao Museu Bell de História Natural.

Os astrônomos afirmaram na época que se o seu signo astrológico é determinado pela posição do sol no dia em que você nasceu, a descoberta mudaria tudo o que as pessoas achavam que sabiam sobre o horóscopo delas.

"Quando (os astrólogos) dizem que o Sol está em Peixes, não é realmente em Peixes", disse Parke Kunkle, membro do grupo, à época para a Times.

Uma lista de novas datas foi divulgada na época, que incluía o Ofiúco, signo que reuniria pessoas de sagitário e capricórnio.

O astrônomo e professor do IAG-USP (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo), Rodrigo Nemmen, esclarece, no entanto, que a posição das estrelas não mudou, o que tem mudado é a percepção das estrelas vistas da Terra.

"Imagina que as estrelas são pessoas paradas em um campo de futebol e a Terra é uma pessoa que as observa do lado de fora do campo. Se essa pessoa começa a correr em volta do campo observando quem está parado, a percepção dela sobre as pessoas que estão paradas muda", explica.

E isso é porque a atração gravitacional entre a Terra, Lua e Sol está alterando o eixo de rotação da terra.

"É um processo que vem acontecendo há bilhões de anos, desde a formação da Terra. É como se um pião fosse solto sobre uma mesa. Dependendo de como ele é largado, ele fica girando ao redor de um eixo de rotação que não é fixo, é o que acontece com o eixo de rotação da terra", acrescenta.

Nemmen faz a ressalva ainda que astrologia não deve ser confundida com astronomia.

"A comunidade cientifica deixa claro que astrologia não é ciência e, por isso, não há embasamento científico. Quando astrólogos falam dos destinos das pessoas, como vai ser o dia delas, buscando ler isso nas estrelas, isso não tem sentido no ponto de vista cientifico", afirma.

Já para os astrólogos, as pessoas não devem confundir o zodíaco astrológico com o sideral (que é astronômico), já que os signos astrológicos seriam baseados nos meses do ano, estabelecidos há muito tempo, e não na posição das constelações, que vêm mudando conforme a mudança no eixo de rotação da terra.

Lendas e animais desenham constelações do céu noturno