PUBLICIDADE
Topo

Bill Gates nos trends: Microsoft comprou Activision, e o Twitter 'pirou'

Microsoft compra Activision Blizzard por quase US$ 70 bi; aquisição é a maior da história - Reprodução/Microsoft
Microsoft compra Activision Blizzard por quase US$ 70 bi; aquisição é a maior da história Imagem: Reprodução/Microsoft

Gabriel Daros

De Tilt, São Paulo

18/01/2022 15h04Atualizada em 19/01/2022 15h05

A Microsoft anunciou nesta manhã (18) a finalização de um acordo para a compra da desenvolvedora e publicadora de jogos Activision Blizzard — dona de títulos pesos-pesados da indústria dos games, como as franquias "Call of Duty", "World of Warcraft" e até mesmo o popular "Candy Crush."

A negociação, estimada no valor de US$ 68,7 bilhões, foi anunciada no blog oficial da Xbox e representa a maior aquisição já feita na indústria de videogames.

Com a junção, a empresa fundada por Bill Gates passa a atingir 95 dólares por ação. Após o anúncio, as ações da Activision disparavam 29,5%, a 84,64 dólares.

Bill Gates entra no trending

A nada modesta aquisição da Microsoft colocou Bill Gates como um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Na rede social, diversos memes e comentários sobre a situação da empresa contra a Sony, maior rival da Xbox no mundo dos consoles, viralizam.

Alguns fãs imploram para que essa seja a oportunidade de ressuscitarem franquias queridas, mas abandonadas:

Houve quem ficou assustado com o valor da aquisição — que, de fato, ultrapassa os US$ 12,7 bilhões pagos pela Take-Two para adquirir a Zynga.

E quem não quis nem pensar direito em tanto dinheiro:

A oferta em dinheiro feita pela Microsoft também representa a maior aquisição já proposta pela companhia e posiciona melhor a empresa diante de rivais como Tencent e Sony.

"Videogames é a categoria mais vibrante na indústria do entretenimento hoje em dia e vai ter um papel fundamental no desenvolvimento de plataformas de metaverso", afirmou o presidente-executivo da Microsoft, Satya Nadella.

O anúncio do negócio vem num momento de fragilidade da Activision. As ações da companhia acumularam queda de mais de 37% desde que atingiram recorde no ano passado, atingidas por acusações de assédio sexual de funcionários e conduta indevida de vários executivos.

A companhia ainda está tentando resolver as acusações e anunciou na véspera que demitiu ou afastou mais de três dezenas de funcionários e adotou medidas disciplinares contra outros 40 desde julho.

O presidente-executivo da Activision, Bobby Kotick, vai continuar no comando da companhia após o negócio.

Em conferência com analistas, Nadella não mencionou diretamente o escândalo, mas citou a importância de mudança de cultura na companhia. "É crítico para a Activision Blizzard manter seus compromissos de renovação na cultura da companhia. O sucesso desta aquisição dependerá disso."

O mercado global de videogames foi avaliado em US$ 173,7 bilhões em 2021 e deve atingir US$ 314,4 bilhões até 2023, segundo a empresa de pesquisa Mordor Intelligence.

A Microsoft tem feito grandes investimentos no setor, incluindo a compra das criadoras de "Minecraft", MojangStudios e Zenimax, em um negócio multibilionário há alguns anos.

A empresa também lançou um popular serviço de assinatura que dá acesso a uma biblioteca de games, que tem mais de 25 milhões de assinantes. E, paralelamente, um outro serviço que permite jogar games via nuvem.

Executivos afirmaram que os mais de 400 milhões de usuários ativos mensais em games desenvolvidos e publicados pela Activision são um dos pontos principais do interesse da Microsoft, já que comunidades de jogadores podem ter um papel nas iniciativas de metaverso da Microsoft.

A biblioteca de jogos da Activision pode dar à plataforma Xbox da Microsoft uma vantagem sobre a Sony e o PlayStation, que por anos têm demonstrado um fluxo mais estável de lançamentos de games exclusivos.

"Este acordo é significativo para o lado de consumo do negócio e, mais importante ainda, para a Microsoft realmente começar a brigar pelo metaverso", disse David Wagner, analista da Aptus Capital Advisors. "Acreditamos que o negócio vai conseguir isso", acrescentou, alertando que a transação vai ficar na mira de autoridades de defesa da concorrência. (Com Reuters)