PUBLICIDADE
Topo

É mais segura? Entenda como funciona a panela de pressão elétrica

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Colaboração para Tilt, em São Paulo

06/01/2022 04h00

Quem costuma usar panela de pressão sabe bem que o utensílio de cozinha é um aliado e tanto na hora de encurtar o tempo necessário para que as receitas fiquem prontas. Para se ter ideia, cozinhar feijão em uma panela convencional é algo que leva em torno de duas horas, tempo que cai para no máximo 30 minutos com a de pressão.

O problema aqui é que muita gente tem medo de usar esse utensílio. Sim, é possível que uma panela do tipo exploda — e o resultado, além de perigoso, significa ter uma cozinha extremamente suja -, mas fatos do tipo são raros e geralmente dependem de um mau estado de conservação da panela.

Se você é uma dessas pessoas, trazemos aqui uma solução: apostar em uma panela de pressão elétrica. E, agora, vamos explicar como ela funciona e por que é uma alternativa bastante interessante.

Como funciona?

A tecnologia por trás da panela de pressão - Arte UOL - Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Considerando apenas a forma de cozimento, a panela de pressão elétrica realiza o mesmo processo que a sua versão comum.

Por ter o seu interior selado por uma tampa de vedação, ela permite que os líquidos ali contidos atinjam temperaturas superiores aos 100 ºC, que é o ponto de ebulição da água.

Ao manter esse vapor preso (no máximo, saindo aos poucos), ela acaba forçando todo o conteúdo a atingir temperaturas maiores. Com isso, o cozimento dos alimentos - inclusive do seu interior - acaba sendo mais uniforme.

A diferença da panela de pressão elétrica é que ela não usa a chama do fogão para esquentar, mas sim uma resistência que aquece a cuba onde estão os alimentos.

Uma vez que a tampa esteja fechada corretamente e a borracha de vedação esteja presa à tampa na posição correta, começa-se a formar pressão dentro da panela. Isso faz com que uma válvula se levante, de forma evitar que o vapor do interior saia, mantendo o nível de pressão alto em seu interior e realizando o cozimento.

Uma vez que o tempo estipulado para o cozimento termine, a panela desliga e aí o usuário tem duas opções: esperar que a pressão do interior diminua naturalmente conforme o conteúdo da panela esfrie ou girar uma válvula que permite a saída do vapor. Uma vez que a pressão interna diminua para níveis seguros, a trava da tampa se abre e ela poderá ser aberta.

Dúvidas comuns

Panelas de pressão elétricas são mais seguras do que as convencionais?

Sim, porque há sistemas de segurança redundantes. Na maioria dos modelos, se a tampa não estiver fechada corretamente a pressão não se eleva e, quando fechada corretamente, uma trava impossibilita a abertura com pressão elevada. Isso reduz a probabilidade de acidentes que poderiam ocorrer se a panela de pressão fosse do tipo convencional.

Além disso, na elétrica é possível colocar o alimento e "esquecer", já que o timer fará ela desligar quando o tempo estipulado terminar.

Por que as panelas do tipo evaporam menos água?

Diferentemente da panela de pressão convencional, na qual uma válvula giratória libera parte do vapor sempre que a pressão interna atinge determinado nível, na elétrica há um controle de temperatura mais preciso. Assim, ao invés de liberar vapor para manter o interior em uma condição de temperatura e pressão estável, ela simplesmente controla a temperatura automaticamente de maneira a manter a pressão uniforme.

Elas são mais eficientes?

Sim, e isso ocorre duplamente. Tanto no uso da energia em si, já que a panela não esquenta além do necessário, assim como no tempo de cozimento dos alimentos. Como ela não libera vapor para o ambiente, o tempo de cozimento dos alimentos acaba sendo menor. Tenha isso em mente caso você opte por um modelo do tipo: deixar alimentos cozinhando na panela de pressão elétrica pelo mesmo tempo que você deixaria em um modelo convencional vai fazer com que eles fiquem mais moles.

Fonte:
João de Sá Brasil Lima, professor doutor de Engenheira Mecânica do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT)