PUBLICIDADE
Topo

Depois da Samsung, Huawei lança celular dobrável e Xiaomi mira em flip

Smartphone dobrável Huawei P50 Pocket - Divulgação
Smartphone dobrável Huawei P50 Pocket Imagem: Divulgação

Claudio Gabriel

Colaboração para Tilt, no Rio de Janeiro

28/12/2021 18h04

Depois do lançamento durante o ano de 2021 do telefone da Samsung, Galaxy Z Flip 3, que chegou no Brasil em setembro, duas gigantes chinesas da tecnologia parecem querer disputar o mercado de smartphones dobráveis.

A primeira foi a Huawei, que tem investido em diversos novos produtos mundialmente. Agora, em dezembro, a empresa lançou o P50 Pocket, uma versão compacta e dobrável do P50. Poucos dias depois, foi a vez da Xiaomi anunciar que vai lançar um celular também dobrável. Por enquanto, o que se tem dessa são patentes registradas.

A expectativa é que esses aparelhos ganhem força dentro do mercado em disputa a partir do próximo ano.

Huawei P50 Pocket

Já com mais informações divulgadas, o P50 Pocket teve até um vídeo divulgado mostrando seu funcionamento. São duas versões, sendo uma delas em preto e branco, com o preço de 8.988 yuan (cerca de R$8 mil reais) por 256 GB. A outra é em dourado, em formato Premium. O custo para o consumidor será de 10.988 yuan (quase R$9.800) por 512 GB.

O design permite que não tenha espaço nenhum quando o celular está fechado. As bordas finas são quase idênticas e o furo para a câmera está na parte superior. A tampa de trás tem dois módulos para abrigar as informações. Em um deles, é mostrada a hora, data e notificações. No outro, a tela em si do celular, quando aberto.

Na parte técnica, o aparelho usa o sistema HarmonyOS 2.0, que é uma adaptação do Android. É de 6,9 polegadas a tela Oled, contendo uma resolução de 2.790 x 1.188 pixels e uma proporção de 21:9. Além disso, há uma tela externa redonda de 1,09 polegada.

Huawei P50 pocket - Divulgação - Divulgação
Huawei P50 pocket
Imagem: Divulgação

O chipset embarcado no telefone é o Snapdragon 888, opção top de linha lançada no fim do ano passado. O curioso é que o telefone só terá suporte a redes 4G.

A câmera é de ultrawide de 13 MP e dois sensores, um de 40 MP e outro de 32 MP. A bateria conta com 4.000 mAh, tendo um suporte para carregar até 40 W por um cabo na entrada USB-C. A espessura fechada é de 15,22 mm e 7,2 mm aberta.

Xiaomi aposta em dobrável flip

Já o celular da Xiaomi possui um formato mais similar ao da Samsung, em que dobra no eixo horizontal e tem formato mais compacto que um celular que não dobra quando fecha.

O display deve ser até parecido com o P50 Pocket, em que um dos lados mostra notificações, hora, data e mais, enquanto o outro lado mostra a tela normal em si. Segundo as imagens divulgadas, são duas lentes, uma tela direcionada mais para direita e um flash.

Patente de celular dobrável da Xiaomi - Reprodução/Escritório de Patentes da China - Reprodução/Escritório de Patentes da China
Patente de celular dobrável da Xiaomi
Imagem: Reprodução/Escritório de Patentes da China

Não são conhecidos muitos detalhes, como especificações. Ele deve ter um processador topo de linha, 128 GB para armazenamento interno e, ao menos, 8 GB de RAM, que são configurações comuns neste tipo de aparelho. Há a chance, como boa parte dos produtos da Xiaomi, de ter uma linha mais barata.

É importante dizer que, mesmo sendo apresentado com certos modelos, isso ainda não quer dizer que o celular vai ganhar vida em algum momento. Ele ainda deve ter avaliações de viabilidade da estrutura, por exemplo, e quanto poderá custar. Mas o registro de patente mostra fortes possibilidades de a chinesa entrar na disputa nesse mercado.