PUBLICIDADE
Topo

'E os namoradinhos?': brasileiro viraliza com dicas amorosas sarcásticas

Dan Mendes ultrapassa 300 mil no Instagram e meio milhão no TikTok - Arquivo pessoal
Dan Mendes ultrapassa 300 mil no Instagram e meio milhão no TikTok Imagem: Arquivo pessoal

Priscila Carvalho

Colaboração para Tilt, em São Paulo

16/12/2021 04h00

Entre conselhos engraçados e encenações da vida real, Dan Mendes, 25, diverte seus seguidores na internet. Com seu jeito irônico, ele já soma 398 mil inscritos no Instagram e mais de meio milhão no TikTok.

Entre as publicações mais virais, o jovem usa caixinhas de perguntas para comentar coisas como: "eu me sinto feia, o que faço?", "eu não gosto de trabalhar, mas preciso. E agora?, "quando passo o dia inteirinho pensando nele, é porque ele está pensando em mim também".

Em entrevista a Tilt, Dan afirma que não esperava a dimensão que as publicações alcançaram quando começou a publicar seus primeiros vídeos, há dois anos. No início, ele compartilhava conteúdos sobre racismo e militância, destaca. Depois ele foi indo para o lado do humor.

"Eu comecei a fazer vídeos no Black Lives Matter [onda de protestos após a morte de George Floyd, um homem negro morto por um policial branco nos EUA]. O primeiro vídeo que viralizou foi sobre colorismo. Depois começou a ganhar força no Instagram", conta Dan.

Para sua surpresa, os conteúdos foram crescendo e, em três semanas, o jovem pulou de 900 seguidores para 38 mil. De lá para cá, o crescimento foi contínuo. Famosos como as atrizes Thaís Araújo e Luana Xavier estão entre os seus seguidores.

Um dos vídeos que mais teve alcance é um que Dan aparece respondendo à caixinha de perguntas no Instagram sobre "o que falar para tia quando ela pergunta dos namoradinhos?". Algumas semanas atrás, ele postou novamente o vídeo devido ao engajamento.

"Já foi um sucesso pela palhaçada e teve um alcance muito bom", relembra ele.

Conselhos amorosos sarcásticos

Quando Dan começou a dar dicas de relacionamento para seus seguidores, esse tipo de conteúdo não parou mais de viralizar. Ele brinca que as histórias são bem engraçadas e algumas chegam a ser bizarras.

O jovem torce para que não sejam verdade, já que algumas, segundo ele, são muito humilhantes. "Eu não quero acreditar que as pessoas vivem dessa forma", conta rindo ao telefone.

Mesmo tendo se tornado um "expert na parte amorosa", Dan conta que caiu nesse "ramo" sem querer. "Eu não tinha pretensão de dar conselho para ninguém. Algumas coisas são tão claras que eu pensava: 'vocês se fazem de besta'?".

Perguntado se ele ensaia ou pensa em uma resposta pronta, ele responde que não. O processo ocorre de maneira natural, ressalta.

"Eu não elaboro, eu não mando caixinha para mim mesmo. Eu respondo para mim e depois abro a câmera e reproduzo", explica ele.

De Caxias (Rio de Janeiro) para o mundo

Além dos vídeos amorosos, as postagens sobre o município Duque de Caxias, na baixada fluminense, também fazem sucesso nas redes sociais do produtor de conteúdo. Nascido e criado no local, Dan brinca com as curiosidades do lugar.

Em uma das postagens, uma seguidora pergunta "o que há de bom em Caxias" e ele responde em tom de ironia e brincadeira: "Nada. Mentira, tem o ônibus que sai ali de Caxias". Quando questionado sobre a "veracidade" da fala, Dan responde gargalhando: "Tem tudo de bom em Caxias".

A identificação com os seguidores de lá foi tão grande que, hoje, muitos de seus seguidores moram no município. "Caxias é um país, tem de tudo. Eu sempre falo da alta gastronomia, famoso cachorro-quente do russo, tem o shopping, assalto na passarela", diz em tom de brincadeira.

Mesmo não morando lá há anos, ele não esquece suas origens. O produtor de conteúdo se mudou para os Estados Unidos em julho de 2019 e a ideia inicial era passar somente seis meses. Na época, sua irmã já morava no país e o incentivou a ir.

A estadia deu tão certo que Dan estendeu a permanência, mas viu que mesmo morando no exterior, poderia produzir conteúdos falando de Caxias e de outras situações engraçadas.

Internet virou seu sustento

Antes de trabalhar 100% com produção de conteúdo para internet, Dan foi estagiário em agências de publicidade. Mas ele sentia que a profissão não daria muito futuro pelo fato de o mercado de comunicação ser difícil. "Eu pensava que estava estudando para ficar em casa", relembra.

Com a ida para os Estados Unidos, ele passou a investir mais na publicação nas redes sociais e hoje sua renda toda vem delas.

A Tilt, Dan afirmou que não tinha dimensão de seu sucesso no Brasil, mas o termômetro veio quando foi reconhecido por brasileiros nas ruas de Nova York.

O influencer ainda saiu para jantar com alguns seguidores. "[Mas] Eu não consigo me colocar no patamar de famoso. Eu sou muito tranquilo", diz.

Mesmo adorando o reconhecimento, ele conta que se alguém vir falar com ele, ficará muito tímido. "Eu prefiro que não me reconheçam. Eu fico desajeitado. Ai meu Deus do céu", conclui a entrevista aos risos.