PUBLICIDADE
Topo

Conexão está pipocando? Descubra se a internet está lenta e como melhorar

cottonbro/ Pexels
Imagem: cottonbro/ Pexels

Felipe Mendes

Colaboração para Tilt

14/12/2021 10h30Atualizada em 14/12/2021 14h21

Você está no meio de uma partida no videogame e tudo começar a travar. Ou a internet dá aquela pipocada bem no meio de um filme. Falhas de conexão podem acontecer a qualquer momento, mas como saber se o problema é na rede da banda larga ou no seu dispositivo?

Existem algumas dicas bem práticas para descobrir.

1. Meça a velocidade

Quando o assunto é medir a velocidade da internet, precisamos conhecer três termos técnicos: "ping", "download" e upload".

O ping (latência) é o tempo de resposta, ou seja, quanto tempo um pacote de dados leva para ir e voltar de um equipamento (como o computador) para um servidor de teste. Quanto menor for o valor, mais rápida é a resposta da conexão. Quanto mais responsiva a conexão, melhor será seu desempenho em jogos online competitivos, por exemplo.

Já o download é a velocidade que costuma ser vendida pelas operadoras para baixar arquivos (vídeos, filmes, músicas, documentos) nos aparelhos (celular, computador, televisão). Ou seja, se você paga por um plano de 100 megas (Mbps), a medição do download deve ser próxima a isso (considerando as normas da Anatel).

Quanto maior a velocidade, mais rapidamente são baixados os arquivos e mais pessoas conseguem se conectar à internet ao mesmo tempo.

Por fim, o upload é a velocidade para enviar dados para outros dispositivos. Isso é importante na hora de fazer reuniões virtuais, por exemplo, enviar anexos ou subir arquivos na internet.

Com essas informações em mente, use medidores online. São programas que analisam o sinal da rede e dizem o quanto a sua operadora está entregando.

Você pode usar o de Tilt, feito em parceria com o Melhor Plano (clique abaixo e descubra se está recebendo o combinado com a operadora):

Mas existem outros:

"Uma dica importante para saber se a internet contratada realmente traz a taxa prometida é solicitar para que o instalador realize um teste com uma dessas ferramentas logo no momento da instalação", diz Portillo.

É importante entender que, isoladas, nenhuma das três taxas trazem informações completas.

Porém, mesmo que você tenha contratado um plano de internet fixa mais veloz, isso não significa que terá 100% da conexão contratada. Isso porque as empresas são obrigadas pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) a disponibilizar pelo menos 40% dela.

Ou seja, se comprou 100 mega, pode ser que tenha em sua casa apenas 40.

2. Feche os programas

Antes de fazer o teste, certifique-se de que todos os programas abertos estejam fechados. Se possível, reinicie seu dispositivo. Isso permitirá que a ferramenta utilizada para os testes detecte a rede sem interrupções.

"É importante desconectar quaisquer outros dispositivos e aplicações (vídeo, streaming, dados etc.) para que a medição seja o mais precisa possível", diz Julian Alexienco Portillo, engenheiro de telecomunicações e pesquisador do Centro Mackenzie de Liberdade Econômica.

Outro problema que pode atrapalhar a medição é o desgaste dos equipamentos, como roteadores antigos que não sejam compatíveis com a velocidade de conexão contratada.

3. Use a internet a cabo

Se for possível, use um cabo de rede conectado diretamente no computador que fará a medição durante o teste. Isso porque pode haver falha dos roteadores na hora da transmissão de informações.

"Para uma medição mais precisa, recomenda-se conectar seu computador ao ponto de internet via cabo e não pelo sinal de wi-fi", afirma Portillo.

Esse movimento também será importante para você compreender a capacidade do seu roteador, já que, se os números obtidos com e sem cabo forem próximos, as chances de seu roteador estar funcionando bem e o problema ser apenas de rede são maiores.

Outro fator que pode contribuir para diferenciar a medição são fatores climáticos, como chuvas ou ventos fortes, que podem trazer falhas técnicas e prejudicarem as atividades de sua conexão. Fique de olho nisso na hora de analisar os resultados.

4. Anote os valores registrados

Você já deve ter percebido que, dependendo do horário, sua conexão fica mais ou menos rápida. Ou seja, ela não é estável o dia todo. Pequenas variações são esperadas e, com os testes, é possível saber os momentos de maior variação em sua rede.

Esse tipo de informação é fundamental para quem estuda à distância ou está em home office. Mas, mais do que isso, pode ser um sinal de que a operadora contratada não está cumprindo com o valor contratado.

5. Avalie seu pacote

Então, qual seria uma boa média de velocidade para se ter em casa?

"Vai depender da quantidade de usuários conectados de forma simultânea na rede doméstica, bem como dos serviços que os mesmos estão utilizando no momento, como streaming de vídeo e áudio, jogos online, navegação simples na web, entre outros", afirma Ricardo Tombi, coordenador da pós-graduação em redes do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT).

Para se ter uma ideia, um vídeo em alta definição, HD 1080p, com seu componente de áudio, deve demandar da sua rede algo em torno de 22 Mbps (megabit por segundos; unidade usada para medir a velocidade da banda larga).

Sendo assim, fazendo uma soma simples das demandas dos internautas conectados ao mesmo tempo, pode-se ter uma ideia da banda necessária.

Um ranking divulgado recentemente pela Ookla, empresa norte-americana responsável pelo popular teste Speedtest, mostra que a velocidade da banda larga fixa do Brasil está em 44º lugar em um ranking com 181 países, com média de 113,09 Mbps. Mônaco aparece em primeiro, com 261,82 Mbps.

Já o relatório do Data Portal, divulgado no início deste ano, aponta que a velocidade média da internet residencial do Brasil tem ficado na casa de 78,75 Mbps.

O que fazer se os resultados forem ruins?

A resposta mais simples seria "trocar de operadora", mas tenha calma. Antes disso, o ideal é realizar alguns outros testes.

Uma das coisas que você pode verificar em sua casa é a quantidade de pessoas conectadas ao mesmo serviço.

"A análise deve levar a uma conclusão sobre a necessidade de aumento de recursos como largura de banda da operadora contratada, capacidade de transmissão dos seus dispositivos, a utilização de amplificadores de sinal, e a adequação do ambiente removendo barreiras ou partindo para uma solução híbrida com utilização de parte da rede cabeada", diz Tombi.

Você também pode contatar sua operadora para que ela realize testes antes de decidir por uma eventual troca de empresa ou de pacote de serviços.

"Às vezes, pode ser um problema interno, como a distância do seu dispositivo e o ponto de wi-fi, mas também uma falha no roteador e até mesmo um problema da rede da operadora, seja ela conectada por fibra óptica ou cabos", diz Portillo.

O UOL pode receber uma parcela das vendas de planos de telefonia sugeridos ao final do teste de velocidade de Tilt.