PUBLICIDADE
Topo

Aspirador robô da Samsung é potente, limpa bem, mas algumas falhas irritam

Samsung/Divulgação
Imagem: Samsung/Divulgação

Renata Baptista

De Tilt, em São Paulo

24/11/2021 04h00Atualizada em 24/11/2021 08h47

Ter um aspirador robô para chamar de seu e ajudar na limpeza da casa se tornou o sonho de consumo de muita gente durante o isolamento social provocado pela pandemia de covid-19. A prova disso é que as vendas cresceram. Até então, eu nunca tinha tido a oportunidade de testar um deles, mas ela surgiu e fiquei bem animada.

O modelo do teste para Tilt foi o Samsung Powerbot-E Vr5000Rm, que aspira o pó e passa pano. No site da fabricante, o preço oficial é de R$ 2.849,05, mas consegui achá-lo por valores menores, a partir de R$ 2.050 em lojas de varejo.

Pois bem: para mim, um aspirador robô era considerado uma excentricidade, por isso, sempre me surpreendia ao ouvir depoimentos de alguns amigos que diziam que não saber mais viver sem eles. Será que a tecnologia me convenceu? É o que vou responder no review de hoje.

Design e características marcantes

Como destacado, o Samsung Powerbot-E Vr5000Rm é um robô aspirador 2 em 1: aspira e passa pano (só com água. Não é permitido uso de produto de limpeza). Além disso, ele traz diferentes tipos de ciclo, se conecta à internet e tem inteligência para voltar sozinho à base de recarga antes que a bateria termine.

O visual dele é simples e bonito. O aparelho é redondo e possui altura de 8,5 cm, o que possibilita que entre embaixo de alguns móveis para fazer a limpeza —aqui em casa, por exemplo, ele entrou debaixo da cama, mas não conseguiu limpar embaixo do sofá da sala. Logo, depende muito.

O acabamento do robô é de plástico na parte superior, e ele tem uma parte brilhante e outra mais fosca. E não tem jeito. Com o dia a dia, marcas e arranhões de uso são inevitáveis. Por isso, tenha em mente de que o robozinho não ficará para sempre como chegou da loja.

Para evitar maiores danos e para fazer seu trabalho com eficiência, o aspirador tem uma parte que funciona como um para-choque com uma camada emborrachada. Isso serve para absorver pequenos impactos no momento em que ele reconhece uma parede, um móvel ou outros obstáculos.

Na parte de baixo ficam o reservatório de água, com capacidade para cerca de 300 ml, duas rodas maiores e duas menores que permitem a locomoção do bichinho, além das escovas que vão aspirar as sujeiras para perto do motor de sucção e o paninho.

Parte de baixo do Samsung Powerbot-e VR5000RM - Samsung/Divulgação - Samsung/Divulgação
Samsung Powerbot-e VR5000RM
Imagem: Samsung/Divulgação

Controles do aspirador

O aspirador robô possui um controle remoto que dá para ajustar os modos, a intensidade da limpeza e até controlar os movimentos dele à distância.

Uma outra possibilidade para controlá-lo é configurá-lo para que ele tenha acesso ao sinal wi-fi da casa. A partir daí, é possível usar um aplicativo próprio para ele, disponível para iPhone e Android, que permite ainda a integração com a plataforma Smart Things, responsável por controlar diferentes eletrodomésticos tecnológicos da empresa.

Não é possível, entretanto, integrá-lo a serviços das assistentes de voz Alexa e Google Home, por exemplo, como outros modelos do mercado já funcionam.

O legal do app é que, além de permitir o uso como um controle remoto, ele ainda possibilita configurar o agendamento da limpeza e oferece status dos acessórios que o acompanham, como o filtro, a escova lateral e as rotativas. Isso, claro, se ele funcionar direitinho (explico melhor a seguir).

Por sinal, essas peças — filtro, escovas de limpeza e o paninho — vêm em dois pares, o que possibilita intercalar o uso ou até substituí-las, se for necessário. Ponto positivo, pois nem todos os aspiradores do tipo são vendidos com tantas peças de reposição juntas.

Robô na prática

A montagem do robôe é bem fácil. É colocar água no reservatório, posicionar as escovinhas, colocar o paninho no local indicado — ele fica preso por velcro — e dar a primeira carga. Com isso feito, o próximo passo é selecionar entre os modos de limpeza predefinidos:

  • automático (anda aleatoriamente pela casa);
  • em espiral (definida uma área, ele fica em torno dela);
  • de cantos (onde ele fica nos contornos dos cômodos da casa);
  • em zig-zag (que só está disponível no app).

Tentei utilizar o aplicativo, mas tive alguns problemas de conectividade. O app ficava travando. Quando eu tentava acionar um comando por ele, o robô não respondia. Foi de tirar a paciência mesmo e até agora não sei o que pode ter acontecido.

Pedi ajuda ao meu marido que trabalha na área de tecnologia da informação e nem ele conseguiu descobrir o motivo da falha. A solução foi usar logo o controle remoto para não perder tempo — fiquei com o aspirador durante uma semana.

Samsung Powerbot-e VR5000 na base - Samsung/Divulgação - Samsung/Divulgação
Samsung Powerbot-e VR5000
Imagem: Samsung/Divulgação

Depois disso, a limpeza fluiu. Após fazer o ciclo selecionado, o robô é programado pela fabricante para seguir até sua base recarregamento.

Durante os meus testes ele retornou, mas não foram todas as vezes, o que eu descobri depois que foi por desconhecer seu funcionamento.

Em algumas situações, chegando no limite de uso da bateria (em média quase duas horas contínuas) o aparelho chegou a dar voltas no apartamento sem encontrar a base. Ao conferir o manual, vi que essa base precisava estar encostada em uma parede, sem nada nas proximidades para que o robô voltasse sem problemas.

Ao montar esse "cantinho" para a base, nunca mais o aspirador se perdeu — fica a dica.

Cuidado com objetos e obstáculos

Como acontece com qualquer outro aspirador robô, vale a pena deixar o espaço livre na casa, sem obstruções, para que ele possa trabalhar em paz.

Pois bem, moro em um apartamento com dois quartos, de 68 m2, e tive pena do coitado do aspirador que parecia trombar e enganchar em muita coisa do que via pela frente.

Explico melhor: ele não possui o recurso de mapeamento que alguns robôs mais avançados (e mais caros) apresentam. Ou seja, ele vai na base de tentativa e erro.

O sistema chamado Smart Sensing (sensor inteligente) ajuda nesse sentido, fazendo com que o aspirador reduza a sua velocidade diante de paredes, objetos e degraus, mas não se engane: ele vai ficar trombando o tempo todo com eles. Nada que impeça o seu funcionamento, mas é bom avisar para você não ter sustos.

$escape.getH()uolbr_geraModulos('animated-gif','/2021/samsung-powerbot-e-vr5000-1636577325882.vm')

Peripécias do robô

Aconteceu de ter que resgatá-lo embaixo da cama, onde o robô ficou preso por mais de 15 minutos (não entendi também até agora como isso aconteceu), salvá-lo de um pequeno batente que fica entre a cozinha e a varanda e de ter que levá-lo para uma área que ele deixou passar batido ao longo do seu ciclo limpeza.

Por isso, eu não confiei 100% no pequeno para deixá-lo sozinho em casa trabalhando. Eu tive, de fato, que ficar atrás dele para anotar impressões para esse review. Mas, se tivesse um para chamar de meu, ficaria com receio de sair de casa e deixá-lo solto.

Poderoso na limpeza

Tirando algumas situações mais chatinhas, o resultado da limpeza é muito bom para sujeiras, principalmente as pequenas. As escovas giratórias dão conta de limpar bem a superfície plana e os cantinhos, boa parte das vezes.

Apesar de passar pano, nem pense em deixar uma pocinha de água. O robô vai sair espalhando tudo. Não tenho bichinhos em casa, mas imagino o estrago que um xixi ou cocô no local errado poderia causar.

Vale a pena?

A resposta é: depende. O Samsung Powerbot-e VR5000 não vai fazer uma faxina completa na sua casa, mas pode ajudar a manter a limpeza em dia. Em meu apartamento, por exemplo, passar um aspirador vertical — que tem uma potência maior — por cerca de 15 minutos parece ser mais efetivo.

Logo, achei mais rápido do que com o robô. Mas é preciso avaliar de caso a caso as necessidades de cada um, como Tilt já mostrou nesta matéria. E são vários fatores para que você leve em consideração, como tamanho de sua casa, número de moradores, possuir ou não animais de estimação e tempo disponível para a limpeza, entre outros.

A questão da falta de mapeamento é algo a ser levado em consideração, sobretudo pelo valor deste produto. Vale pesquisar se isso é um problema comum (sites como o Reclame aqui podem ajudar a descobrir).

Nós comparamos

Na segunda edição do Tilt Lab Day, testamos quatro aspiradores robôs: um da Wap, um da Samsung (o destacado no review de hoje), um da iRobot e um da Multilaser. Eles tinham diferentes preços e funcionalidades, mas o modelo da Samsung venceu como o melhor.

O da iRobot levou na categoria melhor custo-benefício. Confira como cada aparelho se saiu em cada quesito e tire suas dúvidas na live abaixo:

*O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.