PUBLICIDADE
Topo

Copa do Qatar está longe, mas hackers já usam o evento para aplicar golpes

Seleções de Brasil e Argentina entram em campo para partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 - Marcello Zambrana/AGIF
Seleções de Brasil e Argentina entram em campo para partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Thaime Lopes

Colaboração para Tilt, em São Paulo

24/11/2021 16h26

Falta mais de um ano para a realização da Copa do Mundo do Qatar, mas os golpes virtuais relacionados a um dos maiores eventos esportivos já começaram. As táticas de hackers e golpistas possuem dois públicos-alvos em especial: empresas que poderiam fornecer serviços durante o período e internautas interessados em ganhar ingressos para os jogos.

Segundo a empresa de cibersegurança Kaspersky, cerca de 11 mil tentativas de fraude foram rastreados entre agosto e outubro deste ano. Todas as ações foram realizadas por emails enviados pelos criminosos.

Ameaça para empresas

Os golpistas enviam mensagens convidando empresas para falsas licitações. Caso a companhia participasse das ações sugeridas, teria que investir dinheiro em leilões — que também não existem — para conquistar sua "vaga" como fornecedora da Copa do Mundo do Qatar.

Em alguns dos emails, os remetentes incluíam endereços do país e mencionavam a Fifa (Federação Internacional de Futebol).

Golpe em internautas

Já para os internautas, as mensagens eram mais simples. Por email, os textos avisavam os destinatários que eles haviam sido escolhidos para participar de sorteios de ingressos para os jogos de 2022.

Nesse caso, as pessoas precisavam pagar uma taxa para entrar no sorteio, que nunca aconteceria.

Além do dinheiro, 97% das tentativas de fraudes eram de emails pedindo dados pessoais. Outros golpes ainda enviava um aviso de recebimento de dinheiro de um fundo criado em nome da Copa do Mundo, que, claro, não existe.

Tatyana Shcherbakova, especialista em segurança da Kaspersky, explica que grandes eventos sempre atraem a atenção de golpistas, porque eles sabem que esses acontecimentos são de grande interesse do público.

"Infelizmente estes golpes geram frutos, pois a antecedência com que surgiram golpes deste tipo usando a Copa do Mundo de 2022 comprova isso. Os criminosos investiram na criação de novas táticas para atrair vítimas mais lucrativas, as empresas patrocinadoras", afirmou, em comunicado.

Como se proteger

Como forma de evitar ataques cibernéticos, todos os internautas e funcionários de empresas podem seguir alguns passos para garantir maior segurança, como:

  • ficar sempre alerta com envio de emails com remetentes desconhecidos (até com conhecidos é preciso ligar o "desconfiômetro".
  • não confiar em emails pedindo dados pessoais e dinheiro em troca de algo.
  • avalie a gramática das mensagens (na maioria dos golpes, os textos possuem erros gramaticais).
  • manter aparelhos com o sistema operacional atualizado e com programas de segurança (como antivírus) e filtro de spam.