PUBLICIDADE
Topo

Nada de bebê ou pet em cima: estas práticas detonam seu aspirador de pó

YoonJae Baik/ Unsplash
Imagem: YoonJae Baik/ Unsplash

Rosália Vasconcelos

Colaboração para Tilt, do Recife

14/11/2021 04h00

Embora pareça óbvio, é sempre bom lembrar que aspiradores de pó não devem ser usados para sugar qualquer coisa que se vê pela frente. Existem modelos variados e é preciso verificar nas especificações técnicas do produto até onde ele pode ir sem que sua estrutura seja prejudicada e a vida útil diminua.

Alguns, por exemplo, podem ficar presos entre fibras de um tapete felpudo. E um hábito errado ao utilizar o aspirador de pó é usá-lo para aspirar cacos de vidros —ou qualquer outro objeto que corte, como agulha, grampo e alfinete. As pontas finas cortantes podem rasgar o saco do aspirador ou quebrar o motor, e até causar algum acidente.

Tilt conversou com especialistas para detalhar uma série de situações não recomendadas para o uso do dispositivo. Confira.

1. Cuidado com líquidos, farinha e mais

Evite usar o aspirador de pó, seja ele com fio, sem fio ou robô, para recolher pontas de cigarro ou líquidos inflamáveis, como álcool, acetona e querosene, sob risco de explosão.

Outras sujeiras, menos óbvias, também não devem ser limpas com o equipamento.

"Farinha, pó de maquiagem, papéis com cola e chiclete. Todos esses materiais podem criar um bolo, uma massa, impedindo a passagem de outros lixos, danificando o aparelho", diz o professor do departamento de engenharia elétrica da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), Jeydson Lopes.

A mesma lógica se aplica a pedaços de plásticos. Em contato com o motor aquecido, eles podem vir a derreter e interferir na função do aspirador.

Cuidado também com a água, a menos que o fabricante especifique que o aparelho é apropriado para funcionar com ela.

2. Atenção aos diferentes tipos de superfície

Outro erro comum é que os aspiradores têm bocais e mangueiras específicas para cada tipo de superfície. Uma utilização inadequada pode prejudicar não apenas o produto, mas também o local pelo qual ele passou.

"Usar o aspirador em cima do carpete e em cima do piso de porcelanato são situações diferentes. Se, por exemplo, a pessoa utiliza um bocal errado para o porcelanato, o piso vai ficar arranhado. Existe um bocal para cada tipo de situação", diz Lopes.

3. Não é patinete elétrico

Com a popularidade dos aspiradores de pó robôs, alguns vídeos virais na internet passaram a mostrar situações em que os donos do aparelho colocam pets, objetos e até mesmo bebês para "passear" enquanto o "senhor aspira" faz o serviço doméstico.

São cenas divertidas, mas que são exemplos do uso inadequado desses aparelhos. Engenheiros especialistas em produtos eletrônicos destacam os danos que essas práticas podem causar.

"A potência do motor de cada modelo de aspirador de pó foi projetada para o seu peso e seu porte. Se alguém coloca algo em cima, o aparelho vai gastar mais força, vai consumir mais bateria e vai forçar a potência do motor, que não foi projetada para aquele peso", destaca o professor do curso de eletrônica do IFPE (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco), Hilson Vilar.

"Ao longo do tempo, essa prática pode diminuir o tempo de vida útil do produto", acrescenta.

4. Cuidado com o motor

O motor do aspirador de pó é uma peça fundamental para o aparelho funcionar bem. É ele que faz rodar o ventilador do eletrodoméstico para sugar toda a sujeira. Por isso, tem que tomar cuidado para que esse item não estrague.

Quando desligar o aspirador, evite puxar ele pelo fio porque pode arrebentar com facilidade.

5. E a bateria?

Para os modelos sem fio, é preciso ainda estar atento ao manual de instruções sobre o processo de carregamento da bateria. Os mais novos apresentam um circuito eletrônico de proteção da bateria, que a desconecta assim que o aparelho atinge 100% de carregamento.

Mas nem todos são assim e algumas pessoas têm o costume de deixar o aspirador carregando a noite toda, o que pode diminuir o tempo de vida útil da bateria, caso ela não apresente um sensor de carga, segundo os entrevistados.

Uma dica: quanto mais carregada a bateria, maior o poder de sucção, e vice-versa.

6. Antes de comprar, analise sua necessidade

Para evitar ter que procurar a assistência técnica, o ideal é utilizar os aparelhos seguindo sempre a recomendação dos fabricantes. Para os aspiradores de pó, o mercado oferece uma gama de variedades, desde modelos adequados para apartamento até os que servem melhor para quem mora em casa.

A depender da complexidade —e do preço— do produto, também é possível encontrar modelos com vários acessórios extras, desde os bocais mais simples até escovas específicas para remoção de pelos de estofados e de animais.

E, sim, é possível escovar pets com alguns tipos de aspiradores. Mas eles precisam ser feitos para isso e todo cuidado é pouco com os bichinhos.

Se o aparelho for adequado para aspirar água e tiver a função sopro, ainda é possível utilizá-lo para desentupir pias e ralos, encher balões e acender churrasqueira, o que pode transformar um eletroeletrônico em uma verdadeira ferramenta multiuso.

Nós comparamos

Na segunda edição do Tilt Lab Day, testamos quatro aspiradores robôs: um da Wap, um da Samsung, um da iRobot e um da Multilaser. Eles tinham diferentes preços e funcionalidades, mas o modelo da Samsung venceu como o melhor. O da iRobot levou na categoria melhor custo-benefício.

Confira como cada aparelho se saiu em cada quesito e tire suas dúvidas na live abaixo:

* O UOL pode receber uma parcela das vendas pelos links recomendados neste conteúdo. Preços e ofertas da loja não influenciam os critérios de escolha editorial.