PUBLICIDADE
Topo

Ciência explica jeito certo de manter esponja da cozinha longe de bactérias

Esponjas criam ambiente favorável para bactérias - Getty Images
Esponjas criam ambiente favorável para bactérias Imagem: Getty Images

Thamires Andrade

Colaboração para Tilt, em São Paulo

01/11/2021 04h00

Quem nunca deu aquele trato na cozinha, limpou vidros, pias e etc., mas deixou lá esquecida a esponja de lavar louça? O problema é que um item que parece inocente pode conter mais de 360 tipos de bactérias.

Segundo um estudo publicado no periódico Scientific Reports, da Nature, a cozinha hospeda mais micróbios do que o banheiro, e os cientistas acreditam que isso acontece por conta das esponjas de cozinha. Impressionante, né?

Roberto Figueiredo, biomédico e microbiologista mais conhecido como Dr. Bactéria, explica que as bactérias gostam de lugares com água, esconderijos e alimentos à disposição. "Então a bucha é o ambiente perfeito. Ela está sempre úmida, com restos de alimentos e várias 'cavernas' por ser feita de espuma", afirma.

A primeira dica científica para deixar as esponjas livres de bactérias é respeitar o prazo de troca delas. Segundo o biomédico, elas duram uma semana e não devem ser reutilizadas por mais tempo.

"É até por esse motivo que as esponjas vêm em embalagem com quatro itens, pois é feita justamente para durar um mês", diz.

Ainda assim é preciso fazer uma limpeza diária para que a esponja, de fato, possa ser utilizada por uma semana sem quaisquer riscos à saúde. Confira, abaixo, como executá-la:

1- Esterilizar a esponja no micro-ondas ou na panela

O professor Fábio Rodrigues, doutor do departamento de química fundamental do Instituto de Química da USP (Universidade de São Paulo), explica que esse tipo de procedimento é semelhante à esterilização de material de uso hospitalar em uma autoclave, uma espécie de panela de pressão que leva a um aquecimento a 121º C, garantindo a destruição das células de todos os microrganismos, incluindo fungos, que são mais resistentes.

"O aquecimento da esponja em uma panela aberta ou micro-ondas chegará a uma temperatura mais baixa (próxima de 100ºC) e mata grande parte desses microrganismos. Para uso em cozinha, esse procedimento já faz a desinfecção quase total das bactérias que podem ficar acumuladas na esponja", explica Rodrigues, que ressalta que não há como garantir a desinfecção total.

Para esterilizar a esponja na panela, o dr. Bactéria acrescenta que é preciso esquentar a água no recipiente e, assim que iniciar a ebulição, você pode jogar a bucha e fechar a panela com cuidado. "Quando recomeçar a ebulição, deixa ela por três minutinhos em água fervente e ela estará limpa", diz.

Já no micro-ondas, é preciso deixar a esponja úmida, envolvê-la em um papel toalha e colocar sobre um pires para esquentar no eletrodoméstico. "Você pode deixá-la no micro-ondas até 2 minutos, pois mais do que isso corre o risco de ela pegar fogo", afirma Figueiredo.

2 - Limpeza com água sanitária

Um outro procedimento bastante utilizado para desinfecção é deixar de molho a esponja com água sanitária. "O hipoclorito (água sanitária) também tem grande capacidade de matar os microrganismos da esponja", ressalta Rodrigues.

O dr. Bactéria explica que é preciso colocar um litro de água, duas colheres de água sanitária e deixar a esponja imersa por 10 minutos para fazer o efeito.

"O primordial é escolher um desses três métodos de desinfecção para realizar diariamente. Assim, evita a proliferação de microrganismos e a contaminação cruzada, que pode acontecer por conta da limpeza de itens como as tábuas de carne que podem levar bactérias para outros utensílios, como pratos e garfos", exemplifica Rodrigues.

Esponja com íons de prata e outros cuidados...

Para quem não tem tempo e/ou disposição para fazer essa limpeza diária na esponja, o dr. Bactéria recomenda as esponjas de cozinha com íons de prata.

"O metal tem uma ação oligodinâmica, ou seja, é capaz de matar as bactérias. Portanto, os produtos com essa característica são autodesinfetantes e não tem necessidade de fazer a esterilização", explica o microbiologista.

No entanto, ainda assim, Figueiredo deixa claro que elas também duram apenas sete dias. "As esponjas com essas propriedades não ficam com cheiro, mas têm o mesmo prazo de validade das demais. A diferença é que elas não precisam desse cuidado diário de esterilização."

Outra dica importante é não usar uma mesma esponja em diferentes lugares da casa. "A esponja não pode fazer turismo. Uma semana na cozinha, depois no banheiro e depois na área de serviço. O ideal é ter uma bucha para cada finalidade", ressalta Figueiredo.

Cuidados extras:

  • Deixe sempre a esponja limpa, sem restos de alimentos: esses restos facilitam a multiplicação dos microrganismos.
  • Mantenha-a seca: o excesso de umidade também é um fator essencial para a proliferação deles. Após a limpeza deixe-a escorrendo para secar o mais rápido possível.
  • Não guarde a bucha sobre o sabão.