PUBLICIDADE
Topo

Macio por dentro: estudo revela que núcleo da Terra não é como se imaginava

Núcleo da Terra é mistura de partes sólidas, líquidas e pastosas - Getty Images
Núcleo da Terra é mistura de partes sólidas, líquidas e pastosas Imagem: Getty Images

Abinoan Santiago

Colaboração para Tilt, em Florianópolis

01/11/2021 14h36

Um estudo publicado em setembro coloca em xeque um paradigma que permanece por mais de meio século sobre a estrutura do núcleo interno da Terra. Cientistas sugerem que a camada mais profunda do nosso planeta não é uma bola sólida de ferro, como aprendemos na escola.

Pesquisadores da Universidade do Havaí, nos Estados Unidos, apontam que os dados sismólogos coletados da Terra sugerem que o núcleo não é uma bola sólida de ferro, mas sim uma mescla entre metal duro, meio macio e líquido.

Desde a década de 1950, a ciência sabe que a Terra não é oca por dentro, mas o núcleo do planeta é algo quase inexplorado em razão do calor e pressão que impedem o uso de qualquer tipo de sonda.

O que rolou?

A pesquisa foi publicada em 20 de setembro, na revista científica Physics of the Earth and Planetary Interiors.

Para chegar à conclusão de que o núcleo da Terra não é sólido, geofísicos usaram dados de ondas sísmicas geradas por terremotos. Foi a partir das vibrações de massa que os pesquisadores puderam reconstruir uma visão do funcionamento interno do planeta —como se fosse um exame de tomografia da Terra.

Foram analisadas duas ondas sísmicas principais: as de compressão em linha reta e as de cisalhamento ondulantes. Cada uma pode apresentar comportamento diferente à medida que viaja pelo solo.

Com isso, os cientistas verificaram como as ondas sísmicas geradas em cinco pontos diferentes do planeta chegavam aos lados opostos do globo terrestre, passando pelo núcleo interno da Terra.

A análise dos dados mostrou algo que não estava de acordo com o previsto: as ondas de cisalhamento dos terremotos, que deveriam se comportar como se tivessem atravessado uma bola de metal sólido, atingiam uma estrutura mesclada entre metal duro, ferro líquido, "pastoso" e semissólido.

De acordo com Rhett Butler, geofísico do Instituto de Geofísica e Planetologia do Havaí, como os cálculos das ondas sísmicas estavam corretos, o resultado indicava que aquela estrutura só podia ser o núcleo do planeta.

"Vimos evidências de que não só não é macio em alguns lugares, como é realmente duro em outros. Portanto, estamos vendo muitos detalhes dentro do núcleo interno que não vimos antes", comentou Butler ao Live Science.

Por que importa?

A nova descoberta mostra que o núcleo da Terra ainda permanece rodeado de mistérios, e que muitas deles talvez nunca sejam desvendados devido a suas características térmicas e barométricas.

"Quanto mais olhamos para o núcleo, mais percebemos que não é uma bola de ferro. Estamos descobrindo um novo mundo oculto. A menos que algo terrível aconteça ao nosso planeta, nunca teremos uma observação direta do núcleo da Terra", disse Jessica Irving, sismóloga da Universidade de Bristol, na Inglaterra, em comentário ao site Live Science. Ela não teve participação nos estudos.