PUBLICIDADE
Topo

Vai trocar o chuveiro e não sabe qual levar? Veja 3 conselhos de quem manja

Arte UOL
Imagem: Arte UOL

Marcos Bonfim

Colaboração para Tilt, em São Paulo

12/10/2021 04h00

Preço é fator decisivo para comprar qualquer coisa, mas quando falamos de chuveiro elétrico, outros quesitos também devem ser considerados para não fazer um mau negócio. A pressão da água e o quanto ela vai ser aquecida, por exemplo, podem interferir no funcionamento do aparelho e prejudicar o valor da conta de luz.

Quer saber como escolher para não errar? Tilt ouviu as dicas de Thales Prini Franchi, supervisor de projetos energéticos do Centro Universitário Facens, em Sorocaba (SP), e te ajuda nessa missão.

1. Comum, pressurizado, eletrônico ou híbrido?

Os chuveiros disponíveis no mercado são divididos em quatro categorias: comum, pressurizado, eletrônico e híbrido.

Avalie quais são as características que se encaixam naquilo que você precisa (e pode pagar) e na estrutura do imóvel onde o equipamento será instalado.

Os modelos comuns são os mais presentes nos lares brasileiros, encontrados com diferentes ajustes de temperatura, que variam conforme a resistência elétrica. Com esse tipo de chuveiro, também é necessário controlar a vazão de água para regular a temperatura do banho.

"Os chuveiros elétricos comuns são utilizados em residências que possuem maior pressão da água. Em residências que possuem baixa pressão da água, são utilizados os chuveiros elétricos pressurizados", explica Franchi.

Os chuveiros elétricos eletrônicos permitem escolher a temperatura da água durante o banho, usando uma haste ou até mesmo um controle remoto, dependendo do produto.

De acordo com Franchi, uma vantagem é que a tecnologia usada nesse modelo pode reduzir o consumo de energia elétrica.

O chuveiro híbrido possibilita usar duas fontes de energia para o aquecimento da água: elétrica e solar. Franchi recomenda essa opção para residências com aquecedor solar, já que a combinação das duas fontes de energia pode ajudar no valor da conta de luz.

2. Pressão da água e potência

Verifique na embalagem do produto ou na descrição disponível no site do fabricante o mínimo exigido para que o chuveiro possa ser instalado. A distância do equipamento até a caixa d'água e a fiação elétrica podem comprometer o bom funcionamento.

A pressão da água que sai pelo chuveiro está relacionada com a distância do ponto onde o aparelho está instalado até a caixa d'água, o que é medido em "mca" - metro de coluna de água. Quanto maior a distância, maior será a pressão. Essa altura precisa ser de, no mínimo, um metro para que o chuveiro funcione bem.

A potência, que aparece em watts, indica o consumo de energia necessário para aquecer a água. "Quanto maior a potência utilizada do chuveiro, maior será o gasto de energia", explica Franchi.

Confira que tipo de fiação e de disjuntor são necessários para suportar a potência do chuveiro.

O espalhador, que é aquela peça cheia de furinhos por onde a água é distribuída, também merece atenção, porque oferece maior cobertura e banhos mais volumosos — com maior fluxo de água.

Devem ser consultadas informações básicas sobre o produto, como a tensão de alimentação da rede indicada (127V ou 220V) e se ele contém o selo de certificação do Inmetro. Evite usar um produto de 220V em uma instalação elétrica compatível com 127V. Risco de sobrecarga existem.

3. Instalação

O último conselho fica por conta dos cuidados com o circuito de alimentação do chuveiro. Afinal, de nada adianta investir tempo e dinheiro para escolher um aparelho se, depois, a instalação der problema.

"O circuito de alimentação é de suma importância para o funcionamento do chuveiro. Uma vez mal dimensionado, pode ocorrer aquecimento nos cabos, o que, além de gerar desperdício de energia, pode afetar a integridade da instalação elétrica, colocando em risco o usuário", Franchi alerta.

"O circuito elétrico deve ser independente e formado por condutores de alimentação e proteção e pelos dispositivos de proteção, como disjuntor e DR", ele sugere.

Sendo assim, procure profissionais treinados para que esse tipo de instalação seja feito.