PUBLICIDADE
Topo

App


'Podemos fazer qualquer coisa', diz brasileiro que edita rotas no Waze

Mapas do Waze são editados por colaboradores - Arte UOL
Mapas do Waze são editados por colaboradores Imagem: Arte UOL

Nicole D'Almeida

Colaboração com o Tilt, de São Paulo

30/09/2021 04h00Atualizada em 01/10/2021 11h35

Se você já usou o aplicativo Waze para dirigir por sua cidade, sabe bem que ele oferece opções de rotas para tentar fugir do trânsito. Como as informações aparecem em tempo real no celular? Há todo um esquema colaborativo, de quem usa a plataforma, que avisa sobre situações como acidentes e engarrafamento, e de editores voluntários, que investem o próprio tempo informando alterações de ruas, por exemplo.

Segundo o Waze, no Brasil, são 850 pessoas que têm a função de editar dados do aplicativo. No mundo, são mais de 10 mil editores ativos mensais para um sistema usado ativamente por 140 milhões de pessoas/mês.

Esses internautas são os responsáveis por construir, corrigir e garantir a integridade das rotas, seja adicionando vias, sinalizando interdições em tempo real ou mapeando novos recursos.

Na América Latina, os mapas do app de navegação foram construídos do zero por editores e pelos próprios usuários, destaca Flavia Rosário, chefe de marketing para o Waze na América Latina e Europa.

"Podemos fazer qualquer coisa: criar uma via nova, realocar, fazer uma curva... É muito intuitivo, é basicamente clicar e arrastar", explica Mike Machado, químico industrial e editor que contribui com o Waze no Brasil e em outros países.

Os bastidores da edição

A comunidade, explica a empresa, é formada por pessoas de idades, gêneros, origens e profissões variados. Para se tornar um é preciso ter tempo e informar dados para a plataforma de navegação.

Existe uma estrutura organizacional na qual editores com mais tempo de contribuição e experiência podem realizar tarefas mais complexas e editar vias mais cruciais no mapa. Dessa forma, o Waze consegue evitar que os usuários sejam prejudicados por informações erradas e não confiáveis.

Waze/ Reprodução - Waze/ Reprodução - Waze/ Reprodução
Waze/ Reprodução
Imagem: Waze/ Reprodução

Há também um grupo chamado Champs, composto pelos editores mais ativos e experientes. São cerca de 700 pessoas de locais específicos e 150 que respondem pelos mapas de forma global. No Brasil, são 16 local champs e sete global champs.

É só edição?

Esses voluntários não apenas editam os mapas do Waze como também podem sugerir novos recursos. Duas das funções mais recentes do aplicativo — lembrete para o motorista ligar os faróis e preço dos pedágios — foram originárias de ideias dessas pessoas.

Durante a pandemia da covid-19, eles procuraram ajudar pequenos e médios empreendedores adicionando restaurantes e lojas no Waze, informando quais estavam fazendo drive-thru ou entregas, explicou a empresa.

Outra mudança conduzida pelos editores foi mapear unidades de saúde e hospitais em todo Brasil ao perceberem que apenas 840 hospitais estavam fixados no mapa. O resultado foi mais de 17 mil locais de atendimento de saúde adicionados, segundo a empresa.

Como funciona uma edição?

Para editar os mapas, os voluntários avaliam os pedidos dos usuários do Waze. Cada pessoa tem uma área liberada para fazer alterações, conforme o seu nível no app.

Waze/ Reprodução - Waze/ Reprodução - Waze/ Reprodução
Waze/ Reprodução
Imagem: Waze/ Reprodução

As primeiras áreas liberadas são aquelas pelas quais a pessoa passa enquanto dirige com o Waze aberto. Ela terá, então, o raio de alcance de uma milha (1,6 km) de cada lado para edição durante todo o trajeto. Quanto mais alto seu nível de contribuições de dados na comunidade, maior a sua área de desenvolvimento.

A partir de certo momento, é possível se tornar um gerente de área. Dessa forma, você receberá uma extensão para editar, independentemente se tiver dirigido lá ou não. E assim por diante, podendo ser gerente de estado e até de um país.

Alguns desses editores podem ajudar a desenvolver mapas em outros países, mas é preciso ter permissão dos voluntários já destacados nessa região para começar a colaborar.

Depois de pronta, a alteração na plataforma demora cerca de três a quatro dias para ser publicada.

Além de receber os pedidos dos usuários, os editores também fazem contato com funcionários de prefeituras para confirmar informações de trânsito ou até mesmo receber dados como, por exemplo, sobre ruas interditadas, obras em andamento ou já concluídas.

Como se tornar um editor do app

Qualquer pessoa pode sugerir uma edição nos mapas no Waze e se tornar um editor. Para isso, basta relatar um problema. E, quanto mais o fizer, mais vai crescendo na "carreira" de informar dados para o sistema.

Segundo, Cleiton Casarotto, farmacêutico e local e global champs, assim que o alerta é resolvido, um dos editores entra em contato perguntando se você também gostaria de fazer parte do grupo.

Outra forma de fazer parte da equipe de editores de mapas é se inscrever no site do Waze.

Casarotto lembra que os erros relatados no app de rotas são atendidos por voluntários e não por funcionários representantes da plataforma como muitos acreditam.

Esses editores voluntários gastam cerca de uma hora por dia para aprimorar os mapas da plataforma, não importando se é dia ou noite, dia útil ou final de semana, destaca.

Machado acrescenta que não exerce a atividade somente pelo prazer em ajudar, mas também por se sentir parte de uma comunidade. "Hoje, eu tenho amigos de todos os países. Alguns eu nem conheço pessoalmente, mas eu nem dou mais bom dia, porque nos falamos toda hora", conta.

Uma informação curiosa é a de que, mesmo com todo esse empenho, nenhum editor de mapas voluntário se tornou um funcionário do Waze.