PUBLICIDADE
Topo

Me ajuda, como entender os nomes e as linhas dos celulares?

Entenda quais são as linhas das principais fabricantes que atuam no Brasil para escolher o celular ideal para você - Arte UOL
Entenda quais são as linhas das principais fabricantes que atuam no Brasil para escolher o celular ideal para você Imagem: Arte UOL

Melissa Cruz Cossetti

Colaboração para Tilt, do Rio de Janeiro

24/09/2021 04h00

Escolher um novo celular pode ser uma tarefa estressante. São muitos detalhes técnicos a considerar, com lentes e telas de todos os tipos, capacidade de armazenamento e da bateria, além dos variados processadores apresentados pelas fabricantes, fazendo dos aparelhos mais ou menos adequados para o que você precisa no dia a dia.

Para completar a "missão", todo ano, as marcas lançam uma infinidade de produtos, mudam os nomes das linhas, e pode ficar bem difícil acompanhar toda essa movimentação. E a primeira dica para você não perder tempo é: vá direto ao que interessa ao pesquisar aparelhos dentro do seu orçamento e perfil de consumo.

Basicamente, as empresas agrupam os celulares nas faixas:

  • topo de linha (premium): custam em média acima dos R$ 4 mil -- chegando a mais de R$ 10 mil em alguns casos.
  • intermediário: como o nome já diz, fica bem no meio. Existem smartphones com preços mais perto dos básicos e outros mais próximos das linhas que ficam no topo (neste último caso, é possível encontrar a nomenclatura intermediário premium).
  • básico (de entrada): no passado, eram modelos que não passavam de R$ 1 mil. Hoje, essa régua já subiu. Mas guarde esse valor como parâmetro.

Sendo assim, compare os itens dentro de cada categoria e cruze as informações de uma marca para a outra para chegar ao que você procura.

Dito isso, vamos lá! Agora é a hora de conhecer melhor as divisões de linhas das principais empresas que atuam no Brasil. Os modelos de celulares abaixo são vendidos ainda pelas próprias fabricantes ou lojas revendedoras parceiras.

Samsung

Se você quer inovação em design, pode dar atenção aos aparelhos da Samsung que podem ser dobrados e fazem parte das linhas Galaxy Z Flip (fecho horizontal) e Galaxy Z Fold (fecho vertical). Eles compõem o topo de linha que a fabricante chama de flagships — ou seja, o "carro chefe" de vendas, os produtos mais inovadores.

Outra menina dos olhos da sul-coreana é a linha S, com o Galaxy S21, Galaxy S21+ e Galaxy S21 Ultra (todos com versões 5G). Em uma escadinha de nível, eles apresentam algumas pequenas diferenças entre suas configurações, mas se mantêm entre os smartphones topo de linha da marca e do setor.

São indicados para quem exige muito, consumindo vídeos e jogos (e que pode pagar bastante, pois não são nada baratos).

Para quem está de olho na versão com a canetinha, o modelo Note também é considerado topo de linha e está na edição Galaxy Note20 e Note20 Ultra (compatível com 5G e equipado com S Pen).

Nas faixas intermediário e básico (de entrada), a fabricante manteve as linhas Galaxy A e Galaxy M, com configurações mais simples, se comparadas com a linha S, apresentando processadores e câmeras mais modestos.

Categoria: topo de linha

  • Galaxy S: S20 FE, S21 5G, S21+ 5G e S21 Ultra 5G
  • Galaxy Note: Note20 5G e Note20 Ultra 5G
  • Galaxy Z: Z Flip3 e Z Fold3 (ambos 5G)

Categoria: intermediário

Categoria: básico

Motorola

A Motorola, igualmente, divide os produtos em "famílias". Além dos já conhecidos Moto G, Moto E e Moto One, a fabricante mantém a linha Moto Edge e o Lenovo Legion.

Você vai encontrar produtos Lenovo no portfólio porque a empresa chinesa adquiriu a Motorola (EUA) em 2014.

O modelo dobrável aqui é o razr (2019), com o icônico design flip. Os smartphones topo de linha ficam nos segmentos Moto Edge e G100 com 5G, definidos pela fabricante como "colossal, arrojado, turbinado e intenso".

Hello Moto! Do básico ao gaming, tem de tudo. Alguns destaques:

Categoria: gaming

  • Lenovo: Lenovo Legion Duel

Categoria: topo de linha

  • Moto: G100 5G
  • Moto: Motorola Edge

Categoria: intermediário premium

Categoria: intermediário

Categoria: básico

Xiaomi

Assim como Samsung e Motorola, a Xiaomi tem uma lista vasta de lançamentos. Considerando só os de 2021, são pelo menos dez. Somando as novidades apresentadas no fim do ano anterior, esse número dobra.

Em resumo, são aparelhos da linha Mi (topo), Redmi (básicos e intermediários) e Poco (de intermediários a topos de linha).

Categoria: topo de linha

Categoria: intermediário premium

Categoria: intermediário

Categoria: básico

iPhone

Os produtos da Apple são os mais simples de distinguir. A empresa concentra os lançamentos em um único evento ao ano e identifica sua principal linha como iPhone (adiciona o número do lançamento) e iPhone Pro (mesmo padrão).

Um terceiro modelo, o iPhone SE, geralmente composto de itens mais modestos que nos outros dois chegou a ser atualizado em 2020 depois de quatro anos. É o mais barato entre os celulares da Apple.

A versão Pro é destinada a um público mais exigente, com itens mais complexos, principalmente em fotografia. Não é à toa que custa mais caro, vale lembrar.

Tem a versão Pro Max, com tela um pouco maior, mas mesmo corpo de hardware, incluindo o processador atual. Ela costuma ganhar destaque pelo melhor conjunto de câmeras.

A empresa está longe de ter um smartphone básico, mas um caminho, nesse sentido, é investir em modelos lançados no ano anterior.

Categoria: topo de linha

Categoria: intermediário premium

  • iPhone SE (4G)

Sony, LG e Huawei

Para quem sentiu falta de informações sobre produtos dessas marcas, Sony, LG e Huawei saíram do mercado brasileiro de celulares. Em abril de 2019, a japonesa parou de vender smartphones da linha Xperia nas Américas do Sul e Central.

No mesmo ano, a Huawei fez alguns lançamentos, mas encerrou as atividades. E a LG deixou de fabricar seus celulares em abril de 2021.

Em contrapartida, chegaram por aqui mais smartphones chineses, como os da Xiaomi e da Realme, e novos aparelhos para gamers de fabricantes como Lenovo e Pocophone (Xiaomi). Boas escolhas!